20070712

Não Utilizador - Duplamente Pagador II

Hoje, um contribuinte em Esmoriz beneficia das SCUTs e de uma rede viária que apenas serve as suas necessidades locais, e não as regionais. Um contribuinte noutra zona do país, p.e. o Algarve, beneficia de ligações regionais (é certo que um pouco sobrelotadas) e de SCUTs. Noutras zonas do País, p.e. Beja, beneficia-se apenas da rede viária regional e de uma autoestrada paga, e noutras (ex. Bragança) de uma rede viária regional, mas sem qualquer auto-estrada.

Após a introdução de portagens apenas em algumas SCUTs (da forma que está convencionado), passamos a ter uma situação paradoxal: Regiões mais pobres, servidas por uma autoestrada paga, mas completamente desprovidas de uma rede viária regional funcional. Deve ser um novo tipo de socialismo. Em que os pobres ajudam os ricos. Em qualquer dos casos, o principio utilizador pagador fica por aplicar.

Situação inicial. Temos localidades servidas por:
1. SCUT e rede viária
2. Autoestrada paga e rede viária
3. SCUT e sem rede viária
4. Rede viária

Situação proposta. Localidades servidas por:
1. SCUT e rede viária
2. Autoestrada paga e rede viária
3. Rede viária
4. Auto-estrada e sem rede viária

1 comentário:

Pedro Menezes Simoes disse...

Correcção:

Situação inicial. Temos localidades servidas por:
1. SCUT e rede viária
2. Autoestrada paga e rede viária
3. SCUT e sem rede viária alternativa
4. Rede viária

Situação proposta. Localidades servidas por:
1. SCUT e rede viária
2. Autoestrada paga e rede viária
4. Rede viária
3. Auto-estrada paga e sem rede viária alternativa

Ou seja, quem tem SCUT hoje vai passar a estar pior do que estava antes de ter SCUT

Leituras recomendadas