20070714

Não é bem o poder que nos falta!!!

Eu peço autorização para discordar do António Alves quando diz que o que nos falta é poder. Eu acho que não! Acho que Rui Rio, Luis Filipe Menezes, Mesquita Machado, Narciso Miranda, Pinto da Costa, Valentim Loureiro e até os Engenheiros Belmiro e Ludgero têm ou tiveram poder. Puderam pôr e dispor dos seus recursos em determinado tempo e, mais ou menos, fazer obra. Conheço um colega meu, Francisco Taveira que, enaquanto Director do Hospital de Chaves sempre disse que nunca deixou de fazer nada por falta de dinheiro. E, de facto, Chaves foi o primeiro hospital do país a ter a sua urgência informatizada. E, de um hospital periférico fez um grande hospital e agora só uma decisãopolítica lhe tirou importância.

O que falta a alguma desta gente é algum cosmopolitismo, algum rasgo de futuro, um plano diferente do que pedinchar dinheiro.
falta pensar a região como uma região europeia em vez de ser uma região subalternizada.
falta também marketing das suas acções. Ainda hoje andei pelo paddock do circuito da Boavista - espectacular - mas os media quase não noticiara. Fosse isso noutras paragens e seria até à nausea. Ainda na semana passada aquele espectaculo fatela das pseudo-maravilhas, cheio de interesses comerciais que foi - e bem - ignorado por uma parte significativa dos habitantes do Norte (daí a votação miserável das candidatas do Norte), ainda hoje repetiu e repetirá, parecendo que é a coisa mais importante.

Ontem estive à espera de uma pessoa num esquina, durante 45 minutos. Quem dera a tantas cidades europeias ter o mesmo parque automóvel. Se calhar os índices económico que insistem em colocar-nos na cauda do país e da europa são devidos a isso: fuga ao fisco, investimento em bens de consumo de luxo, falta de investimento nas pessoas, na sua formação, para depois não ter que lhes pagar melhor...

Como vêem falta muita coisa antes do poder ou, dito de outra maneira, eu não sei se confiaria o poder a muitos dos nossos lideres. Para quê?

9 comentários:

migas (miguel araújo) disse...

SG
Não querendo, nem para isso fui incumbido, fazer de advogado de defesa.
Mas, na minha opinião, o António Alves tem razão (sem querer com isto dizer que o SG também não tem razão).
Mas a falta de poder, leva a essa falat de objectividade e de sustentabilidade que falta.
Há regiões que começam, pelo cansaço e pelo desinteresse, a perder peso e identidade.
Demonstro-lhe isso pelo exemplo de Aveiro. A Grande(?) Área Metropolitana de Aveiro - GAMA, está fracturada pela perda de municipios para a AMPorto e Coimbra.
As potencialidades turisticas da região, nomeadamente a Ria de Aveiro - Rota da Luz, nem no Plano de Intervenção Turístico Nacional estão contempladas.
Isto porquê?
Porque Aveiro não tem peso político.
Tem potencialidades, tem realidades - sociais, económicas e culturais, mas falta-lhe a capacidade de gestão e de intervenção inerente ao exercício do poder.
E sem este poder, qualquer região é cobiçada e sublaternizada, como refere.
Aliás, no próprio post que escreveu, esta ausência de poder ou o mesmo fragilizado e inferiorizado está bem patente e exemplificado quando diz: "E, de facto, Chaves foi o primeiro hospital do país a ter a sua urgência informatizada. E, de um hospital periférico fez um grande hospital e agora só uma DECISÃO POLÍTICA lhe tirou importância".
Nada mais exemplificativo.
Cumprimentos

SG disse...

Migas,
eu tb acho que um pouco de autonomia principalmente na gestão dos dinheiros públicos seria, mais do que benéfica, justíssima para todas as regiões do país para além de Madeira, Açores e LVT. Concordo com a palavra "poder" com esse significado.
De resto há uma certa desnatação de cérebros (leia-se iniciativa) para a região onde há mais dinheiro.

Mas, para além disso, é preciso uma outra maneira de encarar as coisas. É preciso que paremos de olhar sempre para a capital e comecemos a olhar para a Europa.
Quando digo que falta marketing, quero dizer que, se no conmtexto nacional seremos sempre uns subalternos, temos que tentar acrranjar outros "públicos" para nos "vendermos". Daí o namoro à galiza. Se as TVs portuguesas nos tratam com desdém, a nossa tem que nos tratar com respeito, não pode ser uma tv de oposição, de ressentimento, de mostrar as coisas da aldeia, etc etc etc...

SG disse...

Por exemplo eu nunca vi uma iniciativa de Aveiro que aparecesse como uma iniciativa "de primeira", isto apesar de saber da excelência da sua universidade, das maravilhas turísticas, da sua qualidade de vida (uma das poucas cidades de Portugal onde eu moraria por opção)

Lá está: falta marketing (e dinheiro....)

António Alves disse...

Eu peço autorização para discordar do António Alves quando diz que o que nos falta é poder. Eu acho que não! Acho que Rui Rio, Luis Filipe Menezes, Mesquita Machado, Narciso Miranda, Pinto da Costa, Valentim Loureiro e até os Engenheiros Belmiro e Ludgero têm ou tiveram poder...
...Chaves foi o primeiro hospital do país a ter a sua urgência informatizada. E, de um hospital periférico fez um grande hospital e agora só uma decisãopolítica lhe tirou importância.


Caro SG,

Parece-me que há por aqui uma ligeira contradição, não acha? :)

Um abraço

Anónimo disse...

"Se calhar os índices económico que insistem em colocar-nos na cauda do país e da europa são devidos a isso: fuga ao fisco, investimento em bens de consumo de luxo, falta de investimento nas pessoas, na sua formação, para depois não ter que lhes pagar melhor..."

Nao tem nada a ve com isso.
Primeiro as pessoas fogem aos impostos como diz, porque o governo não é credivel. O governo esbanja o dinheiro onde não deve.
Diga-me para que um habitante do norte pagar todos os impostos se o dinheiro vai "todo" para lisboa?
Para que pagar impostos se depois o povo vive miseravelmente, e andam a pagar para se fazer estadios na palestina?
Ou entao para esbanjar o dinheiro com OTAs ou TGVs que nao sao precisos.

Se tivessemos um bom governo, tipo um governo nordico ou espanhol, ai sim acredito que nao houvesse tanta fuga ao fisco despropositada.
Uma vez alguem até disse, pagar impostos para que? Pagamos e nao somos bem servidos.
Se me oferecer os serviços publicos duma Suécia ou dum bom país eu pago-lhe todos os impostos precisos, agora pagar para ser mal servido e andarem a investir tudo noutro lado nao obrigado
So um nortenho burro para impostos..

Mais ainda, este país mesmo que tivesse ouro e petroleo nao ia a lado nenhum.
Esta gente não sabe governar. O problema é mesmo não saberem governar, não saberem investir, nem saberem o que fazer.


"falta também marketing das suas acções. Ainda hoje andei pelo paddock do circuito da Boavista - espectacular - mas os media quase não noticiara. Fosse isso noutras paragens e seria até à nausea. Ainda na semana passada aquele espectaculo fatela das pseudo-maravilhas, cheio de interesses comerciais que foi - e bem - ignorado por uma parte significativa dos habitantes do Norte (daí a votação miserável das candidatas do Norte), ainda hoje repetiu e repetirá, parecendo que é a coisa mais importante."

O marketing aparece naturalmente se formos uma regiao autonoma.
Se formos uma regiao autonoma damos muito mais valor ao que é nosso. Temos mais consciencia regional, aparecem as TVs regionais, etc.
Espanha é um bom exemplo de como o que é feito nas suas regiões é valorizado e não precisam que o estado central ande a valoriza-los e a publicita-los.
É preciso é regiao autonoma e depois o marketing vem po si automaticamente.


Ass. Nelson

migas (miguel araújo) disse...

SG
Por acaso até há uma.
Em 2000 a Câmara implantou um projecto de mobilidade único em Portugal (ok! copiado da Holanda e Dinamarca) e que muitos municípios por este país fora já estão a copiar: BUGA - Bicicleta de Utilização Gratuita de Aveiro.
Mas o que falta mesmo a Aveiro é um peso político que marque um posicionamento estratéico forte, que nos salve das "garras" de coimbra e que nos ligue definitivamente ao Norte.
Cumprimentos

SG disse...

Que fique bem claro que sou a favor da regionalização (por princípio).
O que temo é que não haja cá gente em condições para nos governar...

Calaico disse...

"Eu peço autorização para discordar do António Alves quando diz que o que nos falta é poder. Eu acho que não! Acho que Rui Rio, Luis Filipe Menezes, Mesquita Machado, Narciso Miranda, Pinto da Costa, Valentim Loureiro e até os Engenheiros Belmiro e Ludgero têm ou tiveram poder. Puderam pôr e dispor dos seus recursos em determinado tempo e, mais ou menos, fazer obra."

Tiveram poder nada. Que eu saiba não havia regionalização e eles não eram lideres regionais do norte.
Precisamos é de poder via regionalização.



"Que fique bem claro que sou a favor da regionalização (por princípio).
O que temo é que não haja cá gente em condições para nos governar..."

lol
fique descansado que pior do que a gente que governa Portugal nao pode haver.
Podemos não ter um bom governante mas é sempre melhor do que nada. E eu até acho que iremos ter gente em condições para governar. Não temos agora alguma gente em condições a governar camaras? Por ex o Rio que gere bem as contas e o Menezes não seriam bons? O Menezes agora até é o lider do Eixo Atlantico do Noroeste.
Enfim não devem ser muito bons governantes, poderiam ter feito algo mais, algo melhor, mas também não são muito maus como certas pessoas que se vê por ai.


Concordo com o migas, realmente Aveiro tem sido uma cidade exemplar.
Além de bonita e charmosa, o povo Aveirense tem feito projectos inovadores e de apoio ao ambiente como o caso da BUGA. A sua universidade é bastante boa na area cientifica. Por ex a Via Verde e o portal Sapo (que agora pertence à PT) foram la feitos.

E concordo consigo, Aveiro poderia ir muito mais longe se não estivesse nas garras de Coimbra e permita-me acrescentar também deste pseudo-Portugal do Minho ao Al-Gharb.
E não era so Aveiro mas todo o Norte tambem.

Calaico disse...

Ah e já agora, mais um acrescento, a UA e U do Porto em conjunto têm ganho campeonatos mundiais de futebol robot.

Leituras recomendadas