20070724

Vantagem competitiva



Num país em franco envelhecimento, cuja taxa de fertilidade feminina já não é capaz de substituir as gerações, ter uma população jovem - das mais jovens da Europa - é uma vantagem competitiva. O Noroeste (em especial a Área Metropolitana do Porto), única região que ainda cresce naturalmente segundo o último censo populacional, tem neste campo um urgente trabalho a fazer: formar e fixar todo este valiosíssimo capital humano. A formação está garantida pelas 3 grandes e excelentes universidades: Braga, Porto e Aveiro. Para fixar não pode contar com o "governo". Este insiste em "deslocalizar" tudo o que cheire a função, emprego ou simples tarefa qualificada que esteja sob sua alçada para a região de Lisboa. O recente esvaziamento funcional da RTP Porto é mais um exemplo disso. Também é drenando o nosso futuro que nos condenam à subalternidade.

11 comentários:

Salem disse...

Dizem que daqui por 30 ou 50 anos, com o envelhecimento da população europeia, vamos ser tratados por médicos etiopes ou indianos. Se não conseguirmos fixar a nossa pop jovem daqui a poucos anos em Lisboa serão tratados por médicos nortenhos.

Anónimo disse...

Em Lisboa já existem muitos médicos nortenhos...

Mas isso é normal: quanto mais pobre o agregado familiar, maior a família! Como o Norte é mais pobre, existe mais natalidade.

Salem disse...

Nao entre por ai anónimo, repare que o interior norte é muito mais pobre e tem mais alta taxa de envelhecimento.

Jose Silva disse...

O que nos adianta a juventude se não a conseguimos reter ?

Entretanto, António, PF responda-me ao desafio que lhe lancei no post sobre Rui Moreira/Téguas de domingo passado.

António Alves disse...

este anónimo, além de cobarde, é ignorante e gosta de provocar. responder-lhe é entrar no seu próprio jogo. deixem-no a falar sozinho.

José Silva,

Como já disse: não tenho a relevância social para isso. Para já mantenho-me na espectativa. Mais tarde... veremos.

António Alves disse...

"A representação geográfica desta variável mostra um país divido entre litoral e interior, sendo aqui que o peso dos idosos é maior. As áreas metropolitanas da Grande Lisboa e do Grande Porto (especialmente esta) mostram uma estrutura mais rejuvenescida.

Idanha-a-Nova, apesar do nome, é o concelho mais envelhecido do país, aquele onde os mais idosos têm maior peso (42.0% da população residente neste concelho tem mais de 64 anos). Penamacor e Alcoutim são os outros concelhos mais envelhecidos, onde estes indivíduos representam cerca de 40% dos seus residentes."

Como todos nós sabemos, Idanha a Nova, Penamacor e Alcoutim são riquíssimos.

A Irlanda, pelo seu lado, como todos sabemos é um país pobríssimo. Razão pela qual tem uma das mais altas taxas de natalidade da Europa. Até os nórdicos já têm taxas mais altas que nós... e também são muito mais pobres que o sítio mal governado a partir de Lisboa que nós somos.

Salem disse...

Antonio

o "mal" desses concelhos é se localizarem de centros médios (cast branco - idanha; guarda - penamacor; algarve litoral - alcoutim) que atraem a pop jovem desses locais..

Depois acontece como Viseu que tem crescido muito, só que à volta....

Jose Silva disse...

António, e a 2ª alternativa ? Isto é, uma testa de ferro mediática ? EM tempos o Rui A do blogue Portugal Contemporaneo disse-me que o PPortas é precisamente um testa de ferro de certos interesses... Eu francamente prefiro esta hipotese.

António Alves disse...

descruba-se o homem ou mulher, se calhar esta segunda hipótese até seria melhor

Jose Silva disse...

ok, António. Agora o problema será encontrar 100 doadores mensais de 5 euros...

Pedro Menezes Simoes disse...

Com 500€ o melhor que se arranja é o Tino de Rans. É melhor juntar mais um bocadinho de dinheiro.

Leituras recomendadas