20070707

Quem anda e quem não anda a ver os comboios a passar

Caro Salem,
Warren Buffett é o 3º homem mais rico do mundo. Não deve ser por acaso. Deve ser alguem bastante inteligente. Aqui pode ler-se que investir nas ferrovias está na moda e que Warren Buffett efectuou investimentos nestas companhias ferroviárias: Burlington Northern Santa Fe Corp. (NYSE: BNI), Union Pacific Corp. (NYSE: UNP) and Norfolk Southern Corp. (NYSE: NSC). Em cima é apresentado o DOW JONES US RAILROAD INDEX que valorizou 125% desde 2003. Em Portugal e no Norte, ainda não percebemos quais são as implicações do PeakOil na mobilidade urbana de passageiros e na competitividade das exportações de mercadorias. Vamos deixando as decisões a políticos de Lisboa, a lobbys de PPPs/bettão e a autarcas analfabetos. Depois chegamos sempre atrasados à evolução da economia mundial e queixamo-nos. Assim se percebe quem anda e quem não anda a ver os comboios a passar.

8 comentários:

Anónimo disse...

pois, e depois alguns nortenhos e gente do sul, vêm dizer que a culpa do atraso é dos nossos empresarios que andam a comprar ferraris em vez de investir no norte.

SG disse...

Há algumas diferenças em relaão ao Portugal:
1º o número de potenciais utentes é muito maior nos USA
2º o preço da terra é muito mais baixo (expropriações)

Estas duas diferenças são fundamentais para se considerar que um privados nunca poderia investir no comboio em Portugal. Não, desde o século XIX.

Salem disse...

No passado houve iniciativas privadas, a linha do Douro é um exemplo, mas que levaram à façencia alguns burgueses do Porto do sec XIX...Houve também propostas que nem sairam do papel ou cujas obras ficaram a meio...Decididamente, agora que o automovel está ao alcance de todos, decidiu-se que o comboio está fora de moda e que nunca poderá competir com o carro..é pena..porque pode...e deve..

Jose Silva disse...

SG,

O automóvel não vai desaparecer. Mas as viagens ferroviárias vão aumentar. Espere até ao petroleo subir a 200 USD/barril.

Nessaa altura andaremos a lamentar a falta de ferrovias e o excesso de auto-estradas...

SG disse...

José:
Por todos os motivos devia ser feito um esforço enorme de investimento na ferrovia. Por isso mesmo, e dada a reduzida dimensºao do paái ,Talvez não se justifique o TGV (350 Km/h), mas sim o comboio convencional, que nos eixos principais pode circular a 220Km/h. Assim 1 Km de linha para TGV poderia dar para 2 ou mais Kms de linha das convencionais e dotar o país de mais linhas, por exemplo trás-os-montes, douro, beira alta, e eventualmente outras. Isso é que eram investimento estruturantes. Porque não uma linha Chaves-Faro, pelo interior?
Afinal nenhuma delas é rentável sem a ajuda do Estado....

Salem disse...

ja que falamos de transportes e como estamos numa onde de 7 maravilhas, convido vos a verem estas 7 maravilhas em www.tocaaandar.blogspot.com

peço desculpa por fazer publicidade a outro blog,até
podia ter publicado aqui o mesmo post, mas achei muito especifico para o norteamos =)

Jose Silva disse...

SG,

Eu apenas referir a necessidade de investir, publico ou privado, em Ferrovias em vez de Rodovias; não falei em TGVs !

Pedro Menezes Simoes disse...

"Porque não uma linha Chaves-Faro, pelo interior?"
Acha que existe procura?

"Afinal nenhuma delas é rentável sem a ajuda do Estado..."
Isso não é justificação. O Estado tem de definir o que é o serviço público, e definir quanto está disposto a pagar por ele. Depois disso, deve ser o mercado a funcionar. Se não for rentável, não se faz. Significa que há coisas mais rentáveis que se podem fazer com o mesmo dinheiro.

Leituras recomendadas