20070702

"Opiniões de um provinciano do Porto"

PRÓS E CONTRAS

Estava no Aeroporto Sá Carneiro na manhã de segunda-feira passada a fazer o respectivo check-in para uma longa viagem de 10 horas, um tanto contrariado por não poder assistir ao Prós e Contras dessa noite, pensando que ia perder uma boa oportunidade para ouvir finalmente as elites regionais discutirem sem medos os nossos problemas, mas afinal, "nicles"! Buraco! Vazio! Nada! Por aquilo que li na Net, tanto em jornais como aqui e noutros blogues foi uma decepção a toda a linha. Para (ao que consta) Rui Rio ter "brilhado" - para além de um Rui Moreira demasiado diplomático - todas as outras "estrelas" estiveram seguramente baças, talvez também por já terem morrido há muito... Ainda bem que não alterei a data da viagem, porque fiquei seguramente a ganhar. Valha-me isso. Que mais se pode dizer? Senhores anti-calimeros: vamos, de que esperam para entrar em acção! Estou pronto a acompanhar-vos.

JUSTIÇA

Haja pachorra, mas cada vez se confunde mais com perseguição . A batalha movida contra a corrupção desportiva pelos nossos digníssimos magistrados do MP parece só ter uma côr (ou melhor, duas), o azul e branco. O Clube chama-se Futebol clube do Porto,sendo o alvo intermédio Pinto da Costa, tudo levando a crer que o objectivo final é afastar o maior clube nortenho e o melhor do país de uma concorrência incómoda. Se não o conseguem através do jogo jogado, tenta-se a técnica da conspiração mais torpe e abjecta a que já assisti do tempo de Salazar a esta parte. Vale tudo. Programas de TV, livros de prostitutas ressabiadas, filmes com realizadores fracassados e jornaleiras insurrectas, etc. Exmos. Senhores magistrados: só para variar, vou dar-lhes uma ajudinha em forma de pista para diversificarem um pouco o alvo das vossas preocupações (leia-se investigações). Eu, e MILHÕES (seguramente mais de 6) de portugueses ouvimos no conforto dos nossos sofás e através da televisão o Sr. Luís Filipe Vieira, presidente de um clube com nome de um bairro de Lisboa chamado Benfica a dizer ao ex-Presidente da Liga Major Valentim Loureiro que não queria um determinado árbitro para um determinado jogo. Isto não chegará para começarem a investigar para aqueles lados do território? É que Vales e Azevedos deve haver muitos mais na mesma fábrica, não pensam assim? Como cidadão tenho o direito de saber o que tencionam fazer desse caso. Fico à espera, mas não sentado nem a dormir...

TELEVISÕES

Para "matar ou esfolar" Pinto da Costa e o F.C.Porto, utilizam a técnica da bomba com abertura de telejornais. Desse modo, mesmo que nada se venha a provar futuramente, fica logo garantido e bem vincado o estigma, como manda a lei. Já para o contraditório ou para veícular notícias favoráveis aos visados, aí a "tática" muda e o sagrado dever de informar também, passando num ápice a dinâmica da notícia para um silêncio absoluto e faccioso ou na melhor das hipóteses para um canal e horário pouco mediáticos, como convém às partes interessadas. Ah, bela democracia! Nunca pude ver Salazar, nem pintado, mas acreditem que começo a ter-lhe algum respeito. Há muito pior por aí, acreditem, bem travestizado com o capote da democracia. Mas com o medo instalado, como parecem revelar os líderes (que palavra tão ôca) locais, estamos em boas mãos...

SÓCRATES

Tem nome de filósofo, mas com cheiro a tragédia grega. Eu sei que o Porto é uma cidade linda (para mim a mais bonita de todas), que podia sentir-me nesta hora orgulhoso por servir de pano de fundo à cerimónia de abertura da presidência portuguesa da União Europeia, mas não sinto. É que sabe, senhor 1º. Ministro, este provinciano do Porto à daqueles que não se baba nem contenta com cerimónias de abertura, que também gosta dos "entretanto" e dos "finalmente", sobretudo tratando-se (como é o caso) de uma cerimónia referente à presidência de um país cujo nome tem cada vez menos de Port(o)Gal e muito mais de Lisboa. Por isso agradeço-lhe muito a atenção, mas podia muito bem ter ficado na capital. "Comme d'habitude"... Por favor, senhor ministro, não nos coma por papalvos.

5 comentários:

JÚLIO SILVA CUNHA disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
JÚLIO SILVA CUNHA disse...

Meter futebol ao barulho só provoca mais anticorpos "anti-regionalistas"!
J.

Espectadora Atenta disse...

Concordo com o colega Julio Cunha e Silva!

Anónimo disse...

"um país cujo nome tem cada vez menos de Port(o)Gal e muito mais de Lisboa."

O mal foi no passado terem passado o mondego e não terem dado independencia ao sul do mondego.
Assim infelizmente deixamos de nos governar, transformamo-nos neste país galaico-lusitano e passamos a ser uma autentica colonia dos mouros lusitanos e hoje pagamos caro, bem caro a todos os niveis, economico, deturpaçao cultural e historica, etc.

lisboeta disse...

Quando forem uma região autónoma proíbem esse tipo de cerimónias, ok?

Leituras recomendadas