20070624

Porto no Prós e Contras

O grande programa de debates da televisão pública portuguesa, o Prós e Contras da RTP1, dedica o tema do seu programa de amanhã ao Porto.


"Porto Sentido" foi o nome escolhido para o debate, que contará com a presença de Rui Rio, Belmiro de Azevedo, Ludgero Marques, Luís Portela e Rui Moreira.


A não perder, pelos que norteiam.

6 comentários:

Pedro Menezes Simoes disse...

Sem dúvida.
Seria importante passar duas mensagens:
1- Que o Porto precisa de mais de "deixem-nos fazer" e de "usem bem o dinheiro" do que "façam investimentos públicos cá".

2- Que todo o Norte deveria estar a ser debatido. Mas sendo o tema o Porto, apenas em nome deste se pode falar. Até porque as personalidades em causa estão particularmente ligadas ao Porto.

Espectadora Atenta disse...

Caro Pedro
Subscrevo o seu Post! Todo o norte precisa de ser debatido...
estarei atenta ao debate, mas confesso-lhe que ando surpreendida... eu sempre disse que a questão da liderança no Norte era um problema!Mas tenho-me apercebido de que "alguem" quer ser o lider da região e se tem demonstrado muito disponível para isso... Só que a liderança é uma capacidade inata e o líder deve ser escolhido pelo povo e não "oferecer-se" ao povo!!!

Pedro Menezes Simoes disse...

Espectadora,

Não havendo representantes institucionais do povo, as "lideranças" emergem naturalmente entre a sociedade civil. Normalmente, entre quem tem desempenhos profissionais excepcionais, e entre quem é mandatado para representar os interesses de determinados grupos.

O Rui Moreira enquadra-se neste último caso. Rui Moreira não faz mais que representar os interesses da ACP. Regra geral, são também os do Porto e coincidem com os Norte.
A defesa dos interesses da ACP implica ganhar notoriedade mediática. É neste aspecto que RM tem ganho ascendente como um dos líderes (uma das vozes do norte).

Cada um deve actuar no quadro institucional em que está inserido.
Não se pode afirmar que o que RM faz não esteja perfeitamente enquadrado no seu papel como presidente da ACP. Não me parece justa afirmar que ele se esteja a "oferecer" ao povo.

Se Rui Moreira tem começado a ganhar um estatuto de líder que extravaza o seu papel de presidente da ACP, isso deve-se ao facto de que as suas batalhas coincidem com batalhas das populações. Daí um crescente reconhecimento público, o que contribui para que ele tenha cada vez mais "voz".

Ao concordarmos com as suas acções, nos blogues, nas crónicas jornalisticas, etc, estamos a aumentar o "volume" da sua voz. Critiquemos, e estamos a reduzir o volume.

Houvesse a possibilidade de eleger um líder da região, e Rui Moreira só teria voz para representar a ACP. Na situação actual, acaba sempre por representar aqueles que se revêem nas suas causas.

Posto isto, não concordo com a sua crítica. A situação não resulta da intenção das pessoas, mas da qualidade do seu trabalho inserida num quadro institucional estranho. A culpa...é do sistema. Triste país em que a democracia funciona assim.

Espectadora Atenta disse...

Caro Pedro

Em relação a Rui Moreira, pessoa que não conheço pessoalmente mas que muito prezo e repeito, não discuto as capacidades de chefia e liderança e claro que tem feito um excelente trabalho na ACP, porém, eu não quis dizer que Rui Moreira se "ofereceu" ao povo... Não... Não vamos confundir questões! Eu apenas disse e afirmo que esse estudo é perfeitamente desnecessário e esse dinheiro deveria ser investido de diversas maneiras, menos com estudos que não levam a nada... Já disse e volto a repetir que a OTA é ponto assente. Acredite se quiser! Isso já está mais que decidido pelo Governo e só não percebe quem não quiser ver...
Quanto à questão das lideranças a Norte, elas são escassas e fracas! Rui Moreira é bom presidente da ACP mas é só isso mesmo e respeito muito o seu trabalho por isso! Acho é que tem algumas posições menos coerentes, mas isso, todos nós por vezes também temos. Mas, infelizmente, não lhe reconheço qualidades suficientes para ser o "tal" lider que o Norte tanto precisa... Mas que ele tem feito um bom trabalho na ACP isso, sem dúvida! Não quis dizer que ele se ofereceu ao povo... quis dizer que aqui no Norte há "candidatos" a lideres que em vez de adoptarem posturas que levem o poder central a actuar, apenas pregam... e de pregação está o povo cheio!!! Acredite...
De facto, a culpa da falta de liderança a norte, é culpa exclusiva do Norte que não soube delinear estratégias inteligentes e depara-se com este cenário actual...

Ergolas disse...

Ora bem, julgo que o objectivo daquele programa, pelo que me apercebi pela apresentação que vi, é mesmo debater o Porto enquanto suposta capital do Norte. O que é um pouco limitativo.

Espero que proximamente haja um outro dedicado ao outro Norte, o resto, o maior que o Porto.

Pedro Menezes Simoes disse...

Espectadora,

"Acredite se quiser! Isso já está mais que decidido pelo Governo e só não percebe quem não quiser ver..."
Acredito que seja essa a intenção do Governo. Mas se for colocado perante um estudo credível, fica entre a espada e a parede. Ou muda de opção, ou não é reeleito. E os políticos costumam gostar do poleiro. Ainda que não seja assim, mostra aos políticos que crescentemente as decisões têm que ser fundamentadas e transparentes. Caso contrário são substituidos pela sociedade civil.

Ergolas,
subscrevo inteiramente. O Norte não precisa de capital. Temos que afirmar isso todos os dias. E os problemas do Norte não se resumem aos do Porto. Espero ou um programa sobre o Norte, ou um programa sobre Braga, Douro, Bragança... e já agora Coimbra, Alentejo, ...

O que o Porto precisa é que Portugal inteiro comece a ser debatido. Caso contrário, ficamos com o centralismo em Lisboa, a conversa no Porto, e tudo o resto igual.

Leituras recomendadas