20070627

Plataforma Logística de Valença..Para quem e para quê?

Em Valença do Minho, será instalada uma das 14 plataformas logísticas do plano Portugal Logístico. Tratar-se-á da maior plataforma logística transfronteiriça do país, com 40 hectares.

Numa primeira análise, pode-se dizer que é uma localização bem pensada, afinal de contas estamos na presença da fronteira mais concorrida e nível de passageiros e a segunda mais movimentada a nível de mercadorias, de toda a fronteira entre Portugal e Espanha. Estará às portas da Galiza, que é um dos grandes destinos das nossas exportações, bem como da zona industrial do Porrinho. Para além destes factores ainda há o Comboio de Alta Velocidade que, até ordens em contrario, efectuará paragem nesta vila minhota, boas acessibilidades rodoviárias, já existentes, e proximidade de três portos: Leixões, Vigo e Viana.

No entanto, em diversas idas ao terreno e em conversas com diversas instituições chaves da região, deparamo-nos com o seguinte cenário.

A nível ambiental, a plataforma será instalada no coração da Rede Natura 2000 do estuário do Rio Minho, e a sua parte expansível, a ser construída, será construída bem em cima duma zona húmida, a Zona Húmida do Arão.

Temos outro problema, prendido com a falta de mão-de-obra. A nova zona industrial de Valença, a zona industrial de Vila Nova de Cerveira, bem como os novos “Feira Nova” instalados na zona têm fortes problemas de mão-de-obra. A região, para além de ter uma elevada taxa de emprego, está também muito próxima da Galiza onde os salários são a realidade que conhecemos.

Por fim, a pouco mais de 15 km está já em construção a PLISAN, uma plataforma logística com 400 hectares, na vila de Salvaterra, a 2km de Monção, e será a segunda maior infra-estrutura do género em Espanha. Que convivência entre as duas plataformas? Concorrência? Articulação?

Ninguém em Valença sabe ao certo o que é “isso da logística e das plataformas”. A única opinião que a Câmara teve no processo foi acerca da localização exacta. Quanto às características da plataforma como potencial empregador e potencial poluidor, e do seu interior está tudo no segredo dos deuses do MOPTC.

Afinal, esta plataforma tem ou não razão de ser?

3 comentários:

Anónimo disse...

"A nível ambiental, a plataforma será instalada no coração da Rede Natura 2000 do estuário do Rio Minho, e a sua parte expansível, a ser construída, será construída bem em cima duma zona húmida, a Zona Húmida do Arão."

incrivel, so mesmo neste país ridiculo é que estas coisas acontecem.

é como o caso dos postes de alta tensao, devemos ser dos unicos que autorizam a construções de moradias perto dos postes. Cancro? ahh que se lixe..
em Espanha ha lei para isso, as moradias têm de estar a x metros ou kms dos postes, não é permitida construção inferior a x metros ou kms.

dass, kem me dera ser espanhol ou ter a independencia do norte
estes gajos só fazem merda..

Jose Silva disse...

Excelente Salem !

Salem disse...

Muito obrigado pelo voto de confiança =)

Leituras recomendadas