20070921

"Região de Turismo do Norte vai fazer desaparecer o Minho"

"O presidente da Região de Turismo Verde Minho (RTVM) veio ontem contestar a estratégia apresentada pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDRN) para o turismo, que sublinha a necessidade de criação da Região de Turismo do Norte.
Henrique Moura promote continuar a bater-se pela Região de Turismo do Minho e adverte que o plano divulgado por Carlos Lage vai fazer desaparecer o Minho.«Uma única Região de Turismo para o Norte é esquecer que o principal destino dos portugueses, depois do Algarve, é o Minho e este passar a integrar o Norte é fazê-lo desaparecer, pura e simplesmente», afirma."

Se existisse uma única Região de Turismo no Minho, se existisse efectiva coordenação entre as regiões de turismo no norte, se o Minho fosse um destino internacional válido per si (pelo contrário, apenas Porto+Douro+Minho tem dimensão mínima / conteúdo para o turismo internacional), se a Região de Turismo tivesse meios de financiamento para realizar um trabalho de fundo, se o Plano da CCDRN ignorasse as especificidades do Minho,..., se isso tudo, eu até concordaria com ele.

Mas não. O Minho tem várias Regiões de Turismo (Alto Minho, Baixo Minho, Guimarães,...), não existe coordenação nem entre elas nem com as outras, o Minho atrai fundamentalmente turistas nacionais e galegos (e não é graças à Região de Turismo que os atrai) , tem meios financeiros muito limitados (dão para mais do que salários?), e o Plano da CCDRN divide o norte em 4 subregiões, uma das quais é o Minho.

As Regiões de Turismo não têm funcionado da melhor forma. São muitas, muito dispersas, muito pequenas e com muito pouco dinheiro. Por algum motivo o Governo vai mudar o enquadramento destas instituições.

O Minho já existia antes das Regiões de Turismo. E continuará a existir depois. É relevante para um turista se a região de turismo é do Minho ou é do Norte? Seria delirante pensar o contrário. Daí que a questão não é se o Minho "desaparece" se não tiver a sua região de Turismo própria. A resposta é evidente.

Henrique Neto, preocupado em manter caixinhas, esquece o mais importante: qual o modelo institucional que é mais eficaz para o Minho e como garantir que nesse modelo o Minho tem voz relevante. Seguramente que esse não é o actual modelo.

3 comentários:

Anónimo disse...

Solução simples: Passar a sede da RT Norte para Braga ou Guimarães !

JSilva

Salem disse...

Não sei até que ponto o Minho é o mais procurado logo a seguir ao Algarve..E Lisboa?E os Açores e Madeira?Temos o nosso potencial turistico, mas também temos batante turismo étnico.
Por outro lado, não ouvi o presidente da Verde Minho manifestar-se contra a junção das regioes de turismo do Minho. No fundo, é uma questão de centralismos, isto é, com uma só região Minhota Braga teria protagonismo, enquanto que perderia esse protagonismo com as coisas a serem tratadas ao nível do Norte. Sinceramente, por em causa o desenvolvimento turistico da região por uma questão de protagonismo é de um forte provincianismo.

Pedro Menezes Simoes disse...

Ele refere-se ao turismo nacional. Mas mesmo assim, pelo menos(Grande) Lisboa tem muitos mais turistas nacionais. Isto considerando que turista é quem dorme pelo menos uma noite em alojamento hoteleiro...

De facto, concordo consigo, Salem. Tendo em conta a dificuldade operacional das "Micro" Regiões de Turismo (que estão muito dependentes da boa vontade das câmaras), querer manter o estado actual das coisas só se justifica por protagonismo.

Leituras recomendadas