20070927

Debate Intra-Norte: Visão do Minho sobre o Porto

Ou melhor, a opinião de Cesar Gomes sobre o Porto:

O Porto é uma cidade de duas caras! Bajula-se para os investidores por ser uma cidade rica, prospera, moderna, que é o centro de 3 milhões de pessoas (mas fornece apenas os dados (PIB, poder de compra, etc) do concelho do Porto, bla bla. Mas quando se representa para a União Europeia, ou para o Governo é: ai e tal porque o NORTE é pobre, precisa de investimento, não tem condições, não recebemos nada e como o Porto, que também está em crise, está no centro da região invista-se no Porto que já serve a região!

Há mais de dez anos que o Porto não pára de receber grandes investimentos, mas o resto do Norte anda à migalhas.

Porra até quando é que o Minho e Trás os Montes vão dormir! A estratégia é a mesma à anos! Porque será que o Minho e os Trás os Montes estão pobres? Não é muito difícil de compreender. O crocodilo do Porto é sempre o mesmo, é a segunda cidade mais rica de Portugal, e continua-se a queixar...

O Norte é pobre porque o Porto passa a vida a dizer que é o centro do Norte, e ele é que deve receber investimento deixando MAIS UMA VEZ O NORTE AINDA MAIS POBRE. QUEM PRECISA DE INVESTIMENTOS NÃO É O PORTO MAS SIM O RESTANTE NORTE.

O Porto é mais centralista que Lisboa.

25 comentários:

jb disse...

Isto está giro, está! Acho montes de piada.

"Há mais de dez anos que o Porto não pára de receber grandes investimentos, mas o resto do Norte anda à migalhas"

Digam quais os grandes investimentos feitos no Porto nos últimos dez anos (não vale o aeroporto, que está fora da cidade do Porto; não vale o Metro, que vai muito para além do concelho do Porto; não valem as obras rodoviárias, ferroviária e fluviais que servem muitos outros concelhos) e poderemos confrontar com outros "grandes" investimentos noutros concelhos do Norte.

"Porra até quando é que o Minho e Trás os Montes vão dormir!"

Bem, eu vivo no nordeste transmontano há mais de vinte anos (sou natural de um concelho do distrito do Porto) e poderemos colocar a questão de outra forma: não estará o Minho a "sugar" os recursos financeiros que poderiam vir para TM. Afinal a generalidade dos concelhos de TM está muito mais pobre que a generalidade dos concelhos do Minho. E a tendência é para que esse fosso se alargue... e a população até está a "fugir" daqui (o que não se passa no Minho, que até tem uma população jovem).

:-) Proponho que se crie uma região Norte sem o Porto. Mas com a capital em Bragança.
E... claro, Braga, Guimarães, Viana, etc... poderiam muito bem ser "governadas" a partir de Bragança.
Afinal, nos USA, as capitais dos Estados não estão em pequenas cidades ??

sguna disse...

Estes argumentos são fáceis de encontrar, pois o país anda a 4 velocidades: Lisboa, Porto, Litoral, Interior.

António Alves disse...

Opiniões idiotas deste género é o que mais se vê. Opinam mas não fundamentam. Faz-me lembrar uma reacção nesse mesmo blogue a um incidente relacionado com a catenária na estação de Guimarães: quando descobriram que a catenária era comandada a partir do Porto, logo aí viram uma manifestação de centralismo. Nem sequer se deram ao trabalho de perceberem o funcionamento técnico dos sistemas de alimentação de tracção ferroviária. É a tradicional ignorância opinativa portuguesa à solta. Com "pensadores" destes teremos um futuro risonho, lá isso teremos...

Anónimo disse...

Pois é António. Pode atés estar coberto de razaão, mas pelo menos falta pedagogia.
Jsilva

Pedro Menezes Simoes disse...

Também retirado desses comentários:

"Vila Verde disse...
A vida é engraçada. Eu sou Minhoto, não gosto muito da ideia de ficar a depender do Porto como hije dependo de Lisboa, razão pela qual concordo com o que escreveste."

Traduzindo: Mal por mal, gostamos do que temos, ainda que seja mais dificil de influenciar do que a alternativa...

FM disse...

Caro JB

Torna-se repetitivo e crónico a forma com que o “Porto” se esconde com os seus “vizinhos”.
A nível nacional o “Porto” queixa-se constantemente do centralismo de Lisboa, da falta de investimento, do desemprego etc… em nome do Norte, até que o governo resolver distribuir mais uns fundos, onde… na A.M.P. ou como gostam de chamar no grande “Porto”. A partir desse momento a indignação acalma-se ate acharem que necessitam de mais fundos…Voltam a queixar-se que o Norte é pobre etc, etc…e volta tudo ao mesmo, enquanto o verdadeiro Norte (desempregado, mal qualificado, sem acessos e transportes) continua a ver a “banda a passar”, não havendo investimento substancial que ajude/ provoque o seu desenvolvimento.

Quanto ao seu comentário das grandes obras, já percebi que o argumento é o mesmo (segue a mesma linha de raciocínio) mas numa escala mais pequena, refugiando-se nos conselhos vizinhos (essa sim tem piada!!), que fazem parte da A.M.P. ou como gostam de chamar “Porto”, que esse é que tem o investimento todo e eles (cidade do porto) não tem nada…
Vamos ser realista e não vamos esconder o sol com uma peneira! A A.M.P. está a aniquilar o Norte!

EJ disse...

PIDDAC 2007

Norte: 302.579.929 €
Distritos:

Porto: 192.721.153€
Viana do Castelo: 19.091.877€
Bragança: 16.901.462€
Braga: 14.288.255 €
Vila Real: 11.174.198€
Porto/Vila Real/Bragança/Viseu: 9.172.000€ (Rio Douro)
Viseu: 2.316.709€
Braga/Viana do Castelo: 1.559.043€
Porto/Viana do Castelo: 1.500.000€

de:
http://bracaraeavgvste.blogspot.com

Contra factos não há argumentos!!!

Pedro Menezes Simoes disse...

ok, já vi que vocês ainda não perceberam nada do que se passa.

Expliquem-me lá qual o incentivo dos presidentes de câmara em pedir investimento para os municipios dos outros?

Zé da Póvoa disse...

Com efeito este país não tem ponta por onde se lhe pegue. Discute-se só o que se pode receber do estado central; nunca que riqueza pode vir a ser criada com os investimentos. Em Trás-os-Montes ninguém quer fazer investimentos, mesmo as pessoas que são de lá e dispõe de meios. Preferem andar à cata de subsídios para tudo e mais alguma coisa. Se chove, porque chove; se faz sol, porque faz sol!!! Valha-nos os espanhóis que vão entrando por aí dentro e ninguém os vê a reclamar subsídios para a preguiça.

Anónimo disse...

Aposto que as outras autarquias não têm mais dinheiro porque não querem... mas simplesmente porque o "metralha" do Norte absorve todo com o seu loby!

Anónimo disse...

Norte sem porto é terceiro mundo

Monteiro disse...

Não se esta aqui a discutir subsídios, se calhar não deve ter reparado!
Quanto á sua afirmação: “Em Trás-os-Montes ninguém quer fazer investimentos, mesmo as pessoas que são de lá e dispõe de meios.” É bastante infeliz e demonstra o total desconhecimento da realidade social/ geográfica. Trás-os-Montes está a postar cada vez mais numa agricultura de qualidade superior (frutos secos, azeite, vinhos) através de um grande esforço associativista que existe na região, não tendo grande apoio por parte do governo central (subsídios da U.E. que são diminutos).
Com a sua afirmação esta a transparecer uma ideia distorcida da realidade construída com o esforço de muitas pessoas que foram “abandonadas” pelos poderes “centrais”!

Anónimo disse...

O porto sem Norte é fraco e cinzento...

Pedro Morgado disse...

Caro António Alves,

A questão é: Porque é que as linhas hão-de ser geridas a partir do Porto e não a partir de Braga ou Guimarães?

Pedro Menezes Simoes disse...

Pergunte a Lisboa, pois foram eles que decidiram isso...

Fernando disse...

A questão é: Porque é que as linhas hão-de ser geridas a partir do Porto e não a partir de Braga ou Guimarães?

Algum lugar teria de ser. Geralmente escolhe-se o lugar mais movimento, o centro da regiao. Ou iriam escolher Felgueiras, Bragança, Viana do Castelo??
Bem, mas ja viu, se lhe fizessem a vontade, escolhendo Braga ou Guimarães, vinham as outras cidades dizer "Porque é que não escolheu outra?"
Vinham os de Tras os Montes, Porque é que nao escolheu outra? beneficiam sempre o Minho.
Enfim haja paciencia.

Proponho numa 1ª fase a independencia da regiao norte e numa fase posterior a independencia de cada regiao.
No Minho como é especial proponho a divisao em 2 paises, para nao haver guerras com Guimaraes e Braga. Assim Braga será um pais que controlara tudo dentro do seu país, linhas de comboio, etc e Guimaraes sera outro país e tambem controlara tudo.

Problema resolvido.
Teriamos um Norte mais rico, à semelhança do Luxemburgo. Vários Luxemburgos no Norte o que fariam do Norte um conjunto de super países riquissimos. É algo que poderia ter resultados, não estou no gozo.

Anónimo disse...

Estes benfiquistas que falam em minho e quem lhes da tempo de antena neste blogue não sabem o que estao a dizer.

Guimaraes por exemplo prefere o Porto a Braga

PMS disse...

Todos preferem o Porto a Braga, e todos preferem Lisboa ao Porto...

Anónimo disse...

Aí o pms tem toda a razão, em entre douro e minho todos adoram lisboa, a excepção é a cidade do Porto.

Por isso é que no norte todos excluindo o Porto são contra a regionalização.

Anónimo disse...

" Há dois estádios que me assustam, as Antas porque há lá gente que odeia o Benfica, odeia o sul, odeia até a palavra Lisboa, onde é muito inseguro levar um cascol ou uma camisola e Guimarães, porque os adeptos do Guimarães, fervem em muito pouca àgua."

Telmo Oliveira

http://www.record.pt/noticia.asp?id=759091&idCanal=11

Talvez só mesmo guimaraes tenha potencial para se juntar ao Porto na luta pelo norte.

Hugo disse...

Provavemente deveriamos colocar a capital do norte em Guimarãespelo menos há razões de sentimento comuns

Pedro Menezes Simoes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro Menezes Simoes disse...

O Telmo Oliveira não sabe o que diz. Recomendo-lhe também a ir ao estádio da luz. São todos iguais. Só muda o lado da bancada em que se está...

Pedro Menezes Simoes disse...

Para os Telmos Oliveiras deste mundo, a propósito do simbolo do FCP:
http://www.haloscan.com/comments/blasfemia/3106823147687571973/?dt=1191016130#723414

Anónimo disse...

Quem me dera que esses anti-Porto nunca mais possessem os pes aqui

quanto menos mourada melhor

Leituras recomendadas