20070908

Selecção avessa à província: ou como a drenagem também se faz na bola

A selecção nacional de futebol parece ser alérgica aos ares da província. Entre 53 jogos oficiais realizados em solo português nos últimos 20 anos, o Portugal-Sérvia da próxima quarta-feira será "só" o 27.º na capital. E o Clube Portugal, assim baptizado nos últimos anos, para celebrar a reconciliação nacional com a "equipa de todos nós", até têm agravado a histórica tendência para a centralização do país futebolístico. O encontro com os sérvios será, também, o décimo desafio oficial, entre os 17 da era Scolari, marcado para Lisboa. Ali foram já disputados todos os jogos mais apelativos do Euro 2004, da fase de qualificação para o Mundial 2006 e para o Euro 2008. A Polónia e a Sérvia seguem a ordem vigente.

Tudo não passaria de uma questão de "ciumeira" se, afinal, não se verificasse que, além do prestígio, outros valores se alevantam: o clube que cede o estádio leva 10% da receita de bilheteira e até pode acumular o gozo supremo de a selecção ser composta, exclusivamente, por jogadores de um rival...

...

Nos últimos 20 anos, o Minho, uma das regiões do país com maior densidade geográfica, só viu a selecção num jogo a sério, em Março de 1999, com o... Azerbaijão.
Guimarães, onde mora uma das mais fervorosas falanges de adeptos, a do Vitória, só voltou a ter jogos da selecção num particular de má memória para a equipa de Scolari (0-3, com a Espanha, em Setembro de 2003). E Braga? Nem um joguinho oficial para amostra. Desde 1987, a selecção foi lá seis vezes, mas sempre em jogos a feijões. E Barcelos contentou-se com um amistoso, em Março de 2005 (4-1 ao Canadá)



ler o resto aqui

12 comentários:

Anónimo disse...

cof cof... Talvez aqui ng pensou que o estádio da Luz é o maior a nível nacional e no jogo mais atrctivo é capaz de encher... o que significa mais apoio e mais receitas para a federação..

..claro que mais uma vez este blog faz "contra-informação" e chega a pontos ridiculos.

Salem disse...

Então desde que fizeram o util estádio do algarve...

Pedro Menezes Simoes disse...

ó anónimo, leu o texto antes de espumar as tretas do costume.

O artigo não se refere ao próximo joso, refere-se aos últimos 53 jogos. Parece-me natural que os jogos fundamentais fiquem num dos 3 principais estádios, para garantir um ambiente "infernal" (e mais receitas). Mas convenhamos que há muitos jogos não fundamentais que poderiam circular no resto do país.

É que eu saiba, a federação é subsidiada com dinheiros públicos e é uma instituição de interesse público...

Embora eu costume ser crítico de artigos ligados ao futebol (o problema deste país é excesso de futebolite), acho que este é o tipo de situações que importa denunciar (o post anterior tb foi bem apanhado : ). As instituições públicas têm de defender o interesse público de todos.

Anónimo disse...

Claro claro... Em Lisboa tb têm havido muitos jogos da selecção... Vejam nos ultimos 53 jogos da selecção quantos foram em Lisboa.. Nem me recordo da ultima vez que foi ao estádiod a luz.

Pedro Menezes Simoes disse...

"Entre 53 jogos oficiais realizados em solo português nos últimos 20 anos, o Portugal-Sérvia da próxima quarta-feira será "só" o 27.º na capital."

Logo 50% dos jogos são na capital.

"O encontro com os sérvios será, também, o décimo desafio oficial, entre os 17 da era Scolari, marcado para Lisboa."
Na era Scolari passa para 59%, e com os próximos 2 jogos, para 63%.


No estádio da luz não sei, mas se não se recorda dos últimos jogos em Lisboa, é melhor ir ao médico. É sintoma de pré-esquizofrenia senil.

(Eu lembro-me pelo menos do Portugal-Grécia em 2004, embora esse não valha para a discussão em causa).

José Alberto Fernandes disse...

Só queria dizer que o artigo JN ta muito bom, jornal reivindicativo para as regiões como não estava habituado a ver.

PS: há muito que já não apoio o Clube Portugal, se calhar também deviam fazer o mesmo, assim ja fazia mais sentido os jogos serem na capital.

jb disse...

Acho bem.
Assim como assim, é a selecção "deles".

A propósito .... ? que é isso de "província"?

Epifanio Arnaldo disse...

Provincia era o que os parolos de certa provincia chamavam às provincias cujo nome não conheciam.

É uma espécia de ignorância mascarada de desdém...

Vitor disse...

Ainda bem, quando menos vierem melhor e quanto mais perderem melhor, menos o povo se deixa influenciar por este pais de merda.

O Norte devia era ter a sua propria selecçao como a Catalunha e Galiza tem.

A selecção dos mouros que jogue por la e nos dêam a independencia o quanto antes e que nos dêam o nome Portugal so para nos. Eles que fiquem com o nome Lusitania que é o nome deles ou Mouritânia :)

Nós é que somos Portugal ou Galécia, e devemos ter a nossa propria selecção.

A selecçao Espanhola ja nao joga na Catalunha ha uns 10 anos. Oxala esta selecçao galaico-lusitana nao apareça pelo norte nunca mais.

epifanio arnaldo disse...

ó vítor, vá nadar a san xenxo e veja se se afoga. Pense lá se não tem um sanguito lusitano-mouro nas últimas 4 gerações. Se não tem, é porque os seus primos casaram uns com os outros, o que explica os seus comentários à "emplastro".

Tir disse...

o facto de haver (poucos) nortenhos com sangue mouro ou lusitano nao é razao para impedir uma independencia.

Portugal tambem tem sangue vindo de outras partes de Espanha, epifanio sabe la se voce tambem nao tem sangue espanhol nas ultimas 4 geraçoes? Se nao tem, ha muita gente que tem.
E agora? Portugal tem de perder a independencia porque ha portugueses com sangue espanhol?

Alias o sangue do norte de Portugal é igual ao sangue da Galiza, são ambos povos etnicamente Galaicos, ao contrario do centro e sul de Portugal. E agora, pelo seu pensamento o Norte tem de ser independente juntamente com a Galiza?

Veja la os argumentos que usa pois eles também se viram contra si.

epifanio arnaldo disse...

Não sou eu que tenho de explicar porque não a independência. Quem a defende é que tem de a explicar.

Não tem qualquer base étnica, cultural, política ou religiosa.

Vá aos banhos.

Leituras recomendadas