20070901

Leituras 20070901

O Faroeste continua. Agora são "polícias" a ajustar contas. E "ai" do cidadão que ouse ajudar as vitimas...
Oportunidade para os taxistas do Norte pouparem uns trocos. A solução está em Vigo.
Também de Vigo nos dizem que as fronteiras acabaram, mas Valença mantém os seus encantos.
Investigação na UMinho ao nível da melhor do Mundo.
Restauro do teatro romano depende de decisão política.

Trabalho precário na Construção Civil: o Primeiro de Janeiro sabe dar notícias. A TVI limita-se a misturar dados e insultar o Minho. O Público não faz melhor: (ao contrário do que diz a TVI, não é o Minho, mas o sector inteiro que desvia um "bilião de euros" da Segurança Social, e que tem 80% trabalhadores precários; ao contrário do que diz o Público, os 100.000 trabalhadores ilegais não se referem ao último ano mas à soma dos últimos 7 anos). Pedro Morgado tem razão: fazem falta centros de notícias no Minho. Já o sabíamos.

9 comentários:

Salem disse...

Estou mesmo curioso para ver Valença daqui a uns 7 ou 10 anos..

Pedro Menezes Simoes disse...

É bem possível que se torne a maior cidade do Alto-Minho. Crescimento via proximidade com a Galiza...

Pedro Morgado disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro Morgado disse...

Se fazem... O Minho está completamente abandonado informativamente. E o cenário tende a piorar nos próximos anos.

mariana disse...

é verdade que há poucos jornais a publicar a partir do norte...mas até que ponto o diário do minho é credível para dizer que a u-m tem investigação comparável com os mais altos critérios mundiais? (não é uma pergunta retórica, é a sério).

Pedro Menezes Simoes disse...

Mariana, não é o diário que o afirma. O diário tem como fonte os "peritos da European University Association, dos EUA, que executaram uma avaliação internacional àquela universidade".

José Alberto Fernandes disse...

Consta no relatório dos peritos da European University Association.

From the SER and interviews with various University stakeholders, the Review Team came to
the conclusion that two main external constraints impede UM in achieving its strategic
objectives. They are inadequate autonomy and insufficient funding.

Isto é nada mais nada menos que o reflexo dos problemas da região, falta de autonomia e falta de fundos ...

Pedro Menezes Simoes disse...

Consegue-me arranjar o link para esse documento?

José Alberto Fernandes disse...

www.uminho.pt

logo no início tem o artigo sobre o estudo, clicas em mais informações e tem lá tudo.

Leituras recomendadas