20070916

Linha do Minho - Que competitividade??

Mesmo com a grande falta de investimento, a Linha do Minho consegue ser competitiva em diversos percursos, noutros consegue ser um hino ao automóvel.

a-) Viana - Valença: 50 km; 40 minutos;2,9€ (nas linhas de urbanos 50 km paga-se bem menos, mas mesmo assim, podemos considerar este percurso bem competitivo)

b-) Viana - Porto: 85 km (?), 1h30; 7€...Não vale a pena, pela A28 faz-se em metade do tempo e os custos são menores.Para quando a electrificação da Linha do Minho??

Para quando a modernização das estações e dos comboios para que todos possamos usufruir dos mesmos??É urgente, uma ligação mais rápida entre Valença e o Porto, suprimindo algumas estações, tipo Famalicão, Trofa ou Ermesinde (Já para isso acabaram com os regionais para o Porto, obrigando as pessoas a irem de urbano e a trocar em Nine).

Claro que com a Alta Velocidade, os investimentos ferroviários no Alto Minho não deverão passar dumas substituições de carris, ou de remoção de linhas "2" de algumas estações para impedir cruzamentos, como tem sido até agora..

3 comentários:

André disse...

Ganhem juizo... Fechar a estaçao de ermesinde e da Trofa? Concerteza desconhecem a realidade de trafego de passageiros destas linhas... Só pode... Se disserem que devem acabar com as estaçoes de N. Senhora das Dores, Ferreiros, Mazagão.. Esmeriz e por aí fora, estou completamente de acordo.. Agora pelo amor de Deus.. O raciocinio economicista que aqui estão a exercer vai contra toda a logica porque: em primeiro lugar, são estaçoes rentaveis. Possuem um consideravel numero de utentes. E a igualdeda de acesso aos transportes publicos? Foi nesta linha de pensamento que fecharam urgencias e maternidades e agora é a vergonha que se vé. Por favor, nao descredibilizem um blog que, pessoalmente, considero ser de grande qualidade, com iniquidades deste género. São estaçoes que servem pessoas (muitas) que possuem os mesmos direitos de quem vive em urbes como Porto e Braga.. Não as menosprezem.. E daqui fala um portuense de gema e convicto. Saudaçoes..

Salem disse...

Caro André

Ou voce não leu bem, ou eu expressei me mal..

Bem sei que essas estações são importantissimas nas ligações urbanas, mas se ler com atenção o meu post verá que eu me referia apenas a comboios de longo curso que efectuam serviço no Alto Minho.

O que eu defendo é um comboio que faça qualquer coisa como: Valença - Cerveira - Caminha - Ancora - Viana - Barcelos - Nine - Porto.

Isto é só disse que devia haver um comboio a vir de Valença que não parasse em famalicão, trofa e ermesinde. Nunca falei na extinção dessas estações.

Anónimo disse...

O problema é estrutural. O caminho de ferro deve: transportar passageiros e mercadorias; cobrir distâncias consideráveis. Os problemas do caminho de ferro são o do tempo que se leva a vencer distâncias e as inúmeras paragens. Estas, muitas das vezes para deixar/entrar meia dúzia de passageiros. Assim: o caminho de ferro de passageiros deve ligar apenas centros urbanos e as povoações intermédias serem ligadas por autocarro.

João Moreira

Leituras recomendadas