20071121

Taxas no Sá Carneiro são 2-4 vezes as da concorrência - "autoridades de Lisboa estão a bloquear o crescimento do turismo no Norte"

Retirado d' "O Primeiro de Janeiro":

"A construção de uma base de operações da Ryanair, no Aeroporto do
Porto, depende de Lisboa.
A conclusão é do presidente da Ryanair, Michael O’Leary, que ontem apelou à ANA para “dar ao Porto liberdade para crescer e ser mais criativo”, permitindo a instalação uma base operacional no Aeroporto Francisco Sá Carneiro.

Os custos demasiado elevados praticados pela empresa que gere os aeroportos nacionais são a razão invocada pela Ryanair para escolher aeroportos noutros países onde, segundo O’Leary, a diferença de preços é de duas ou quatro vezes inferior.

A instalação de uma base da Ryanair no Porto permitiria um crescimento até aos três milhões de passageiros.

“As autoridades de Lisboa estão a bloquear um enorme crescimento do
turismo”
, considerou Michael O’Laery.

A construção de uma base da Ryanair, com três ou quatro terminais,
implicaria um investimento de mais de 200 milhões de euros.

“Não se pode cobrar preços de Lisboa quando se quer ter uma base de
uma companhia de baixo custo no Porto”
, sustentou Michael O’Laery.

“Continuaremos a dialogar, mas as decisões são em Lisboa e não aqui”, lamentou Michael O’Leary, ressalvando que a companhia tem excelentes relações com o director do Aeroporto Francisco Sá Carneiro, Fernando Vieira.

A companhia aérea de baixo custo gerou mil postos de trabalho e transportou quase um milhão de passageiros, sobretudo turistas que gastaram 125 milhões de euros na região. (...)

Após ler esta noticia, percebi qual é a dificuldade. É que afinal é o Presidente do Aeroporto de Lisboa que diz se as taxas no aeroporto do Porto são adequadas ou não. Alguém sabe o que significa conflito de interesses?

7 comentários:

El Salvador disse...

Onde param hoje os braguistas, vimaranistas e outros papistas da defesa dos interesses de , como é o caso, todo o Norte?

Como sempre e só, o Porto a dar a cara por todos.

Por mim, que até sou minhoto. já temos capital.Ponto final.

Bernardo Pereira

Pedro Menezes Simoes disse...

Caro Bernardino Pereira, vejo que acabou de se "inscrever" no blogger, suponho que para comentar aqui.

Em nome do Norteamos agradeço tão grande consideração.

Ventanias disse...

Já aqui deixei escrito que o modelo de privatização da Ana é, na minha opinião, a questão mais importante do momento para o Porto, o Norte e o modelo do País.

Aqui está a prova.

Ventanias disse...

Já aqui deixei escrito que o modelo de privatização da Ana é, na minha opinião, a questão mais importante do momento para o Porto, o Norte e o modelo do País.

Aqui está a prova.

Ventanias

sguna disse...

Esta situação faz-me lembrar o caso da APDL, nomeadamente do porto de Leixões. Durante muitos anos este foi(???) o porto mais caro da Europa. Assim como a CP e muitas outras, como a empresa era do estado, ninguém se preocupava muito...

Pedro Menezes Simoes disse...

Sguna, porque não fazer um post com isso?

FCruz disse...

O problema é que o Norte deveria enveredar pela criação de uma estrutura válida que representasse a voz do Norte. Uma associação de Municípios ou similar que tivesse a força e representatividade da região. Que não defenda a regionalização pela regionalização. Que argumente com factos perante o poder político as injustiças que se vêm acumulando ao longo dos anos.
Que projecte um desenvolvimento sustentado das potencialidades das diversas áreas que a compõem.
No caso específico do ASC, estes posts são úteis, mas se calhar desenvolvidas por uma estrutura que proponho, seriam concerteza mais fortes.

Leituras recomendadas