20080129

Corrupção!


Embora o título nos possa levar ao engano, não se trata do filme que retrata um suposto desenlace litigioso de duas conhecidas personagens. Os protagonistas aqui são outros. Doutra estirpe. Uma estirpe muito mais "elevada".


“uma criminalidade do mais nocivo para o Estado e para a sociedade” que “é praticada
por intocáveis no poder”


Com estas palavras Marinho Pinto, bastonário da Ordem dos Advogados, embora não citando nomes (parece-me que também não era necessário) denunciou um conjunto de pessoas e situações que todos sabemos serem verdadeiras. Muitas virgens mostraram-se ofendidas.


O jornal 24 horas hoje fez-nos o favor de nos mostrar as (mais do que conhecidas) caras de alguns senhores que, segundo a interpretação do citado jornal, são os acusados por Marinho Pinto. Eu cá acho que o jornal é capaz de ter acertado. Mas há mais, muitos mais dos que aqui aparecem. Estranhíssimo é que não apareçam caras de autarcas do Norte. Não é que não haja corruptos entre eles, porque os há, mas pela fama que têm eu estava à espera de pelo menos um entre os tubarões.


Hoje, novamente, Marinho Pinto voltou a fazer acusações claras. Só não as entende quem não quer.

6 comentários:

Jose Silva disse...

Excelente António !!!

O JPP e Sanches não gritaram ainda ?

António Alves disse...

o JPP deve estar ainda banzo com o ataque frontal que Cunha Vaz lhe faz no Público: chama-lhe mentiroso com todas as letras.

Pedro Menezes Simoes disse...

O artigo é ridículo. Confunde corruptela com corrupção, da grande. Esses são os peixes de aquário, não os tubarões. Falta aí o grupo de Macau, da Emaudio; os ministros "IKEA"; os ministros e autarcas das operações imobiliárias, obras públicas e fundos europeus; os grandes grupos económicos do tráfico de influências, droga e lavagem de dinheiro (sim, no PSI20); as camaradagens tachistas entre o poder e os cargos de gestão da administração pública; os actos lesivos de gestores públicos em final de mandato que se transferem para a concorrência; os ministros dos submarinos e helicopteros; as universidades modernas e independentes do tráfico de influências e lavagem de dinheiro; a corrupção generalizada dos burocratas; o conflito de interesses entre os deputados da AR e os escritórios de advogados, etc,etc,etc

O povinho fica maravilhado com a corruptela do futebol e de algumas autarquias menores. Mesmo com os escândalos em Lisboa, Saldanha Sanches (que assina como fiscalista mas fala como marido do ministério público) prefere desviar as atenções para as relações entre ministério público e província (fazendo de conta que as fugas de informação no caso "Casa Pia" não existiram), tendo ele próprio ligações ao PS...

Precisamos há muito tempo de uma operação mãos limpas. Mas os Procuradores Gerais da República acagaçaram-se quando tiveram a oportunidade. Tal qual o Vitor Constâncio, em vez de cortar o mal pela raíz, preferiram esperar que ele desaparecesse. Resultado: o cancro espalhou.

Jose Silva disse...

Pedro, António,

Que tal umas «Mãos limpas» a partir do Norteamos ?

Teriamos que passar à clandestinidade...

Pedro Menezes Simoes disse...

Lol, não sou do Ministério Público, e não gosto de violência... ; )

E também não tenho acesso a informação confidencial que possa divulgar. No entanto, há informação pública que posso divulgar aqui...

Ventanias disse...

Convém não esquecer os institutos públicos entretanto criados, em especial os que vieram exercer funções que antes competiam a outros organismos do Estado, e os consequentes aumentos das retribuições dos responsáveis...

Leituras recomendadas