20071213

Quo Vadis Pacheco?

Lê-se hoje no Público que Pacheco Pereira, portuense, intelectual sempre pronto a botar opinião sobre tudo e mais alguma coisa, professor universitário numa instituição conceituada na área das ciências sociais, historiador com muitas obras publicadas, enveredou pela demagogia mais básica. Num registo populista, bem ao gosto dos leitores do Correio da Manhã, público que aliás conhece bem, resolveu estabelecer uma ligação directa entre a onda de violência na cidade do Porto e os Super Dragões. Tal como um tal de Domingos Amaral que não tem pejo em fazer insinuações torpes e tirar conclusões espúrias, Pacheco deixou-se levar pelo ressentimento.

Fernando Madureira, famoso líder dos também famosos Super Dragões - uns tipos que ululantes e enjaulados assistem aos jogos do FC Porto -, mais conhecido como "o macaco", também ele autor duma coisa a que chama "livro", demonstrou, apesar da ausência de títulos académicos e obra publicada que possam ser comparados a Pacheco, possuir um maior lastro sociológico que o grande intelectual. Lapidar disse que a " claque é grande", que engloba diversos "grupos e classes sociais" e que nela coexistem "polícias e ladrões... não somos mais do que uma micro-sociedade". Não se pedia que Pacheco tivesse o discernimento de João Cardoso Rosas, mas esperava-se mais. A sorte de Pacheco é defrontar-se semanalmente com Jorge Coelho e não com o Madureira. Era uma abada!

Entretanto o procurador acordou e chegou à conclusão que pelo menos a PJ do Porto não é a "melhor do mundo". Falta saber se a emenda não é pior que o soneto.

5 comentários:

Luis disse...

Não me parece de todo justo que se confunda o FC Porto com um grupo de mafiosos e criminosos. Do FCP deverá falar-se dos feitos desportivos.
Mas também todos nos lembramos das imagens do Pinto da Costa chegar ao tribunal de Gondomar rodeado por cerca de 10 individuos com ar de segurança. Curioso que entre eles estavam o Fernando Madureira e o Bruno "Pidá" lider do gang da Ribeira e que estará envolvido em toda esta teia.
É preciso que o FC Porto se demarque completamente desta gente e se concentre em continuar a proporcionar as vitórias a que já nos habituou.

Jose Silva disse...

O que eu acho é que o FCP/PdaCosta vai perder muitos simpatizantes junto das classes sociais mais esclarecidas a Norte... Nada tenho contra o futebol ou FCP e até apoio moral cinzenta eventualmente usada na arbitragem (em Lisboa a moral é cinzenta escura). Mas certo público começará a achar que é circo a mais para tão pouco pão... Rui Moreira começa a ser crítico relativamente a PdCosta...

O Pacheiro deveia era ir tratar das Pereiras para a sua terra natal (Viana)

Jose Silva disse...

PdCosta já rejeita a companhia do Madureira, como o próprio confessou. Nunca devia ter aceite tais companhias. Arrisca-se a conotações menos agradáveis.

Mas o que verdadeiramente importa é que se o Porto for Chicago dos anos 30, Lisboa é a Sodoma e Gomorra da actualidade...

Mas estes assuntos são irrelevantes...

El Salvador disse...

Não creio que o artigo do Sr. Amaral prejudique a implantação do FC Porto junto das classes "mais esclarecidas" do Norte.

O crescimento do FC Porto é incontornável e passa fundamentalmente pela pequena burguesia urbana do Norte, mas também, do Centro e Sul.

É que o artigo do Sr. Amaral é tão tétrico quanto a cómica figura do Sr. Mourinho.

Estou mais preocupado com o desgaste que nos causa o Sr. Pinto da Costa mas por outros motivos.
Derrete o papel todo em "reforços" e faz um alarde doentio, via revistas lisboetas de mau porte, em que todos saibamos onde passou a lua-de-mel e quanto custava o Hotel.
Nesse aspecto está muito mudado (ou gasto?) diria mais ao estilo bem lisboeta do incompetente endinheirado.

Pedro Menezes Simoes disse...

O que não é aceitável é que os clubes estejam a dar cobertura a determinadas claques com comportamentos criminosos, bem como xenófobos. Isso é que não é aceitável.

Leituras recomendadas