20080503

Nim!

Nem sim nem sopas, vamos estudar, discutir, concordo com a descentralização, não com este modelo, bla, bla, bla...

Começa bem, com um fantástico NIM, a esperança para a renovação do PSD e da classe política nacional. O medo de correr riscos, de ter opiniões claras e definitivas, as respostas redondas que dão para tudo... Onde é que eu já ouvi esta conversa? A piada que isto me mete...

É a favor da regionalização?
Já fui um grande defensor da regionalização há muitos anos. Não sou defensor deste modelo das cinco regiões plano que é o que está constitucionalmente consagrado. Mas sou defensor da descentralização política. O PSD deve definir, e por referendo a coroar um debate interno amplo, a sua posição. Estou muito aberto a ouvir as pessoas.
Defende a existência de orgãos regionais eleitos?
Concerteza. Supramunicipais.
Então o que está em causa para si é o número de regiões?
Sim e o modelo. Não é possível manter este modelo actual.


Pedro Passos Coelho no JN

11 comentários:

Jose Silva disse...

Caro TAF,

Francamente eu prefiro a Regionalização por fusão de autarquias, tipo modelo dinamarquês, ao modelo tradicional das 5 regiões. Penso que PPC e sobretudo MRelvas também defenderão isso, por que faz mais sentido e é mais sensato. O modetlo das 5 regiões em Portugal, já tem 40 anos ! Actualmente, em qualquer actividade, um modelo que se aplique 5 anos depois de ser concebido, já está desactualizado. Insistir no modelo das 5 regiões é uma atraso tipicamente nacional...

Mas mais importante do que esta questão são efectivamente as dúvidas que o anti-comuna levanta. PPC e MRelvas por muito que sejam regionalistas ou até alinhem nas nossas alternativas de fusão de autarquias, demonstram desde demasiado cedo fraqueza nas convicções. Esta aparente adesão às teses liberais e regionalistas, parece mais um fenomeno de aproveitamento político do que vontade concreta. E do liberalismo seria bom que se percebesse se é mesmo diferente do Neo-liberalismo do PS que acaba por ser uma social-democracia ao serviços dos grandes interesses e das «máfias». A minha suspeita é que não.

Resumindo. A melhor prova de que o caminho certo é PSLopes ou AJJardim, é a hostilidade, medo, pânico que provocam no status quo vigente. Se este grita é porque o ameaça. Não vale a pena perder mais tempo.

http://ofuturoeagora.blogs.sapo.pt/15953.html#comentarios

António Alves disse...

"O modelo das 5 regiões em Portugal, já tem 40 anos ! Actualmente, em qualquer actividade, um modelo que se aplique 5 anos depois de ser concebido, já está desactualizado. Insistir no modelo das 5 regiões é uma atraso tipicamente nacional..."

Portugal já tem 900 anos. Insistir neste modelo já está desactualizado. O Saramago tem toda a razão. Se calhar a regionalização deveria ser feita partindo do reordenamento da Ibéria. Por exemplo a reunião do entre douro e minho com a galiza. Conheço uns nossos amigos que ficarão felicíssimos ao ler isto :->

Agora a sério: a mim tanto me faz que seja a 5 ou a 7, ou a 9... Eu preferiria uma grande região Norte que englobasse também os distritos de Aveiro, Viseu e Guarda. Mas, contudo, cada vez mais acredito que se calhar o melhor é começar mesmo pelo espaço que resulta da reunião do distrito do Porto com o Grande Porto porque não me parece que o resto do Norte esteja suficientemente sensibilizado e disposto a deixar os seus paroquialismos obtusos. Mas comece-se de uma vez por todas. Com o tempo as coisas ajustam-se. É melhor começar pelas 5 regiões plano do que andar eternamente a falar de modelos e ?descentralizações'. É isso que os centralistas querem para irem adiando eternamente esta reforma essencial. Tenham juízo. Não voltem à conversa das fusões de autarquias, modelos de descentralização e quejandos. Fonix!! Os últimos 10 anos não lhes serviram para nada?

Jose Silva disse...

António,

O melhor mesmo é enterrar o termo «Regionalização» e aceitar o termo descentralização XPTO ou fusão de autarquias, incluindo neste pacote tudo o que desejamos na Regionalização. Você e eu experimentariamos a satisfação que habitualmente PdCosta tem ao ver os «lisboetas» tramados...

Como você diz, «todos os burros comem palha».

O problema mesmo é a nossa falta de inteligência (que os centralistas efectivamente tem) para manipular os acontecimentos.

Jose Silva disse...

Penso que agora percebe a minha «fusão de autarquias», não percebe ?

António Alves disse...

percebo, mas existe um problema de operacionalidade...

Jose Silva disse...

Agora, não percebo eu. Qual operacionalidade ?

fernator5 disse...

"Se calhar a regionalização deveria ser feita partindo do reordenamento da Ibéria. Por exemplo a reunião do entre douro e minho com a galiza."

Concordo perfeitamente. Somos Galegos, temos muito mais a ver com os Galegos do norte, do que com os mouro-lusitanos. O nosso país nao corresponde a uma verdadeira nação.


"Eu preferiria uma grande região Norte que englobasse também os distritos de Aveiro, Viseu e Guarda."

Concordo. Esse é o Portugal Nortenho, o Portugal Galaico, o verdadeiro e unico Portugal e infelizmente querem juntar parte da nossa região (nação), Aveiro, Viseu e Guarda com o Sul mourisco. Não respeitam claramente a identidade e história das nossas regiões, do nosso povo.
O seu mapa no comentario anterior estaria perfeito http://bp1.blogger.com/_P4KYdUL5GIU/SBxuCX5OAbI/AAAAAAAAAIM/M5gqo5YVyu8/s1600-h/mapa_portugal.gif numa ou 2 regioes em que se fosse 2 regioes, nao incluissem Leiria nem Castelo Branco como querem fazer actualmente.

António Alves disse...

operacionalidade: a 'fusão de autarquias' ou qualquer outro processo de descentralização política necessita de normas, regras, leis escritas, definições de competências, poderes, etc. Ou se diz quem vai mandar em quem e em quê ou então o 'ajuntamento de autarquias' não passará de uma câmara municipal maior. O que além de não ser descentralização e enpowerment nenhum, alimentará um sem número de dificuldades extras devido à falta de autonomia do poder das autarquias para tomar certas decisões. Por alguma razão a chamada 'reforma Relvas' é uma anedota. E depois é preciso contar com as idiossincrasias da população: acredito mais na multiplicação de autarquias do que na fusão. Nem o Porto-Gaia me parece viável no actual momento quanto mais noutras regiões, principalmente a Norte.

Jose Silva disse...

Pois, António:

Teria que ser fusão + descentralização de competências da Adm Central;

Seria uma especie de Relvas 2.0. Nunca a Relvas 1.0;

Poderia passar pela fusão da gestão das autarquias, continuando a existir em termos estatísticos, administrativos e simbólicos;

As guerras bairristas naturais teriam que ser bloqueadas com legislação de equidade territorial e com a possibilidade de cada actual autarquia poder abandonar a super e integrar outra...

Enfim, há soluções para tornar a fusão de autarquias uma alternatível credível caso a Regionalização tradicional se atrase ainda mais. Falando em atraso, o PSL esta propôr uma experiência no Algarve... Significa que a definitiva ainda está para as calendas. Enfim...

Pedro Menezes Simoes disse...

Avancem com a experimental no Algarve. É o primeiro passo para virem as definitivas.

António Alves disse...

a proposta de PSL é muito mais coerente e corajosa do que muitas outras. num ápice toda a gente quereria a regionalização. afinal somos uns macaquinhos de imitação :->

Leituras recomendadas