20070829

"Guerra" Porto vs. Estado Central

Uma perspectiva histórica...

Há 800 anos que as gentes do Porto afirmam que as instituições da cidade são as mais adequadas para defender os seus interesses.

Há 800 anos que o Estado Central tenta convencer (impôr) às gentes do Porto que os interesses destas serão melhor acautelados pelos governantes da Capital.

Em 800 anos, as gentes do Porto não ficaram convencidas. Quantos mais anos serão necessários para se perceber o que é a democracia?

4 comentários:

Anónimo disse...

Lisboa nao foi "colonizada" e formada por gentes do norte, porto incluido?

O desenvolvimento de Lisboa nos ultimos 30 anos nao se deveu muito a investimentos privados de empresas do norte e porto, como a Sonae?

Anónimo disse...

pois infelizmente os grandes empresarios do norte investem la e mudam as empresas para la e deixam o norte na merda.
Lisboa, o centro e o sul que sao estereis de bons empresarios, aproveitam-se dos nossos empresarios.
e o norte vai ficando pobre..

Pedro Menezes Simoes disse...

ó amigo, é por se achar que o sucesso de uma empresa depende de uma só pessoa que as empresas no norte andam a falir. Bons gestores são os que fazem boas estruturas organizacionais e recrutam bons recursos. E estes não são deslocalizáveis em grupo, apenas individualmente.

Nota: o desenvolvimento de Lisboa está muito mais relacionado com a presença de investimentos de multinacionais, investimentos do Estado, geração de empresários qualificados (UNova e UCP), e atracção de mão de obra qualicada do resto do país, do que com o investimentos de empresas nortenhas.

FM disse...

1. Porto só começou um pouco mais de importância no sec.XVIII com a ajuda dos ingleses (vinho do porto) e as suas exportações, antes era mais um porto como outro qualquer. Logo guerra antes disso não havia.
2. Esta guerra está carregada de provincianismo que é tão característico nesta duas regiões.
3. O País é tão pequeno que esta “guerra” é mais ridícula que a sua dimensão.

Leituras recomendadas