20081113

Sobre associações

Vítor Silva, n'Os Meus Apontamentos

6 comentários:

Jose Silva disse...

Caro Vitor,

Na minha opinião há mercado para o Regionalismo, como ideologia política, no Norte de Portugal.

Explore bem este link e verá que a roda já foi inventada há muito:

http://en.wikipedia.org/wiki/Regionalism_(politics)

vitorsilva disse...

hmm... mas eu deixei a ideia de que sou contra a ideia de regionalismo / regionalização?
é certo que já fui mais da opinião regionalização go go go!
mas agora (fruto também das conferencias na bmag e de sites tipo http://regioes.blogspot.com/ ) já quero saber que competências, que deveres, que poderes para além da mítica que abrangência territorial.

Jose Silva disse...

Vitor,

Eu refiro-me ao Regionalismo como ideologia política. Na minha opinião existe disponibilidade/mercado para uma associação/organização com este tipo de agenda. Portanto as questões que levanta sobre a utilidade de uma nova associação não me parecem pertinentes.

Miguel Barbot disse...

Absolutamente de acordo com o José Silva.

A discussão sobre os desenhos do processo pode ser posterior a uma afirmação da vontade colectiva em fazer a regionalização.

Se não houver esta manifestação prévia, forte e categórica, arricasmo-nos a ficar anos a discutir, entre nós, os mil e um modelos possíveis.

Entretanto o polvo continua sentado no fundo do poço a rir e a engordar.

vitorsilva disse...

jose silva

ok, só para tentar esclarecer um pouco a minha opinião já que penso que não me terei explicado da melhor forma.

>> Na minha opinião existe disponibilidade/mercado para uma associação/organização com este tipo de agenda.
concordo em tese

>>Portanto as questões que levanta sobre a utilidade de uma nova associação não me parecem pertinentes.
discordo

aquilo que eu escrevi é só um lembrete para mim.
eu não tenho a pretensão de conhecer todas as associações / organizações e afins já existentes no porto (cidade / distrito) norte (região) logo não posso partir do principio que aquilo que queremos fazer não está a ser feito por outras pessoas se calhar até melhor posicionadas / com outras condições / etc.
o mínimo que devemos fazer é agir no sentido de procurar saber o que outras associações / organismos pensam sobre este tema.
não quer isto dizer que devemos ficar à espera que alguém faça uma tese sobre o movimento associativo nortenho e daqui a dois anos, depois de defender a sua tese possamos pegar nesses dados e verificar então se o nosso movimento é na verdade único e dessa forma justificar a sua existência.
acho que deve haver consciência das 2 situações extremas:
- Analysis_paralysis http://en.wikipedia.org/wiki/Analysis_paralysis
- Not invented here http://en.wikipedia.org/wiki/Not_Invented_Here
e eu pessoalmente não quero estar em nenhum dos extremos que basicamente implicam demasiados recursos para poucos resultados

Jose Silva disse...

Vitor,

É fácil perceber que não existe qualquer organização que zele pelo desenvolvimento a Norte ou que o faça bem. Sabe porquê ? É que se houvesse, o Norte não seria região mais pobre de Portugal.

Concordo consigo que o envolvimento numa organização é algo que deve ser bem meditado. Porém a minha afirmação mantem-se: Há mercado.

Leituras recomendadas