20070517

Revolta no Douro

"Já o independente José Marques, presidente da Câmara de Sabrosa, realçou a “importância” da linha ferroviária da Douro como “meio de transporte” e como “componente do Património Mundial”. O autarca enfatizou o papel da Unidade de Missão do Douro, que “vai criar unidade” entre os vários planos e projectos previstos"


Sintomático é que um independente seja o único a realçar a importância da Linha do Douro para o desenvolvimento da região. O que muito autarca, espalhado por este país e completamente obcecado por auto-estradas, não sabe é que as linhas de caminho de ferro fixam mão-de-obra qualificada, ao contrário das auto-estradas que dão emprego a portageiros e pouco mais.

4 comentários:

Anónimo disse...

António,

Já ando para lhe questionar sobre isto há algum tempo:
- Uma linha ferroviária é menos segura se situada à beira rio, como é a linha do Douro ?
- O declive entre Barca D'Alva e La Fregeneda (www.disdier.com/images/saltunel1a.jpg) é compatível com transporte de mercadorias ?

As respostas a estas questões de facto podem explicar a opção por Aveiro-Salamanca em vez do upgrade para velocidade média/elevada na linha do Douro.

Cump
JSilva

António Alves disse...

O facto de se situar à beira rio é irrelevante para as questões de segurança. Isso depende das condições objectivas de segurança que têm a ver com a qualidade das infraestruturas e respectiva manutenção.

Na Linha do Douro coloca-se de facto uma questão de velocidade. A partir da Pala, devido ao seu sinuoso traçado paralelo ao rio, as velocidades não poderão nunca ser muito elevadas. Mas isso também não é uma questão relevante para o transporte de mercadorias. Aí o que conta é a fiabilidade e pontualidade. Velocidades ente 80 e 100 km/h são mais do que suficientes. Essa das mercadorias por TGV é uma mentira pegada. Os únicos TGV's de "mercadorias" que conheço são os TGV Post em França que transportam encomendas postais, coisas leves, as chamadas encomendas de detalhe. Carga pesada como contentores marítimos não circula em linhas de TGV. Provocam tais distorções na via que a sua manutenção torna-se económica e operacionalmente insuportável.


Não há qualquer limitação ao transporte de mercadorias na Linha do Douro a não ser aquela que tem a ver com o peso por metro linear nas muitas pontes de ferro que a constituem. Mas isso é um problema facilmente ultrapassável.

Sabia que já existiu serviço de passageiros do Porto a Paris pela Linha do Douro?

Jose Silva disse...

OK. Sabia.

E a pendente da fronteira permite o transporte de contentores ?
Se também não houver restrições aqui, acabo por não perceber a ideia da criação de nova linha Aveiro Salamanca em vez do upgrade da linha dou douro para velocidades dos +100 km/hora.

Pedro Menezes Simoes disse...

Mas efectivamente alguém sabe quanto custa a linha do Douro?

Uns dizem 11milhões de euros.

Na CCDRN disseram-me 200milhões.

Terá alguém confundido 11M€ com 11M Contos?

É que a resposta a esta questão muda tudo...

Leituras recomendadas