20080310

Tua: 20000 turistas/ano, sem qualquer publicidade







3 comentários:

Akinol disse...

See Here or Here

Mario disse...

papintoLinha do Tua: Suspensão adiada, REFER E LNEC têm uma semana para criarem condições

Bragança, 14 Mar (Lusa) - O Instituto de Mobilidade e Transportes Terrestres (IMTT) deu uma semana à REFER e ao LNEC para providenciarem as condições necessárias de segurança à circulação na linha do Tua, disse hoje à Lusa fonte daquele organismo.

tamanho da letra ajuda áudio
enviar artigo
imprimir
O IMTT decidiu desta forma adiar a Instrução Complementar de Segurança (ICS) datada de hoje, que determinava a interdição da circulação em parte da linha, a partir de Domingo.

O documento, a que a Lusa teve acesso, foi enviado hoje à REFER, a proprietária da infra-estrutura, ao LNEC, o responsável pelos estudos de segurança, e ao metro de Mirandela, que assegura o transporte ao serviço da CP.

A entidade que supervisiona o sector, ordena que "fica interdita à exploração ferroviária o troço da linha entre a Brunheda e a estação do Tua", com data de entrada em vigor a 16 de Março.

O troço em causa reabriu há um mês e meio, depois de estar encerrado durante quase um ano devido ao acidente que matou a 12 de Fevereiro de 2007 três ferroviários.

A linha foi intervencionada e o IMTT deu uma licença provisória de circulação que termina a 15 de Março, no sábado.

De acordo com a ICS, esta decisão foi tomada por "não se encontrarem concluídos os estudos que permitam o estabelecimento de um regime de circulação" diferente do que vigora desde a reabertura.

A circulação entre a Brunheda e a Estação do Tua está a feita no chamado regime de "marcha à vista", a uma velocidade que permita ao maquinista parar perante qualquer obstáculo.

A velocidade imposta ronda em média os 30 quilómetros/hora, pouco menos que a normal nesta linha que é de 45 quilómetros/hora.

A ICS do IMTT ordena a interdição deste troço e a adopção da marcha à vista entre o apeadeiro da Ribeirinha e a Brunheda.

Pouco tempo depois de ter divulgado esta decisão, o IMTT decidiu adiar a sua execução por uma semana, e prorrogar pelo mesmo período o prazo para a REFER e o LNEC "providenciarem os requisitos necessários à circulação e operacionalidade da linha".

Depois de ter dito à Lusa que a CP iria cumprir a decisão da entidade de supervisão, o Gabinete de Imagem e Comunicação da empresa veio dizer que "não está prevista qualquer alteração na circulação".

O gabinete de imagem e comunicação da REFER disse também não ter indicações de que a circulação vai ser suspensa.

Já o presidente da Câmara de Mirandela e do metro, José Silvano, confirmou ter recebido a ordem do IMTT, mas remeteu declarações para segunda-feira.

Quem reagiu de imediato foi a coordenadora dos afectados pelas grandes barragens e transvazes (GOAGRET), que tem protestado contra a construção de uma barragem no Tua que vai submergir parte da linha.

Num documento enviado à Lusa, a GOAGRET, pede que se "toquem os sinos a rebate" contra o que considera "o fim da linha do Tua".

HFI.


© 2008 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.
2008-03-14 21:00:01

comentar artigo

Mario disse...

e esta notícia tinha saido 1 hora antes.... Comentários? para quê?


cumprimentos a todos Norteamos
mario


Linha do Tua: Circulação novamente suspensa a partir de domingo

Bragança, 14 Mar (Lusa) - A linha do Tua vai ser encerrada novamente no troço afectado pelo acidente de Fevereiro de 2007, por determinação do Instituto de Mobilidade e Transportes Terrestres (IMTT), disse hoje à Lusa fonte ligada ao processo.

tamanho da letra ajuda áudio
enviar artigo
imprimir
De acordo com a mesma fonte, o instituo fiscalizador ainda não recebeu do LNEC e da REFER a comprovação de que foram executadas as medidas de segurança necessárias à circulação ferroviária.

A linha reabriu, entre a Brunheda e Foz Tua, a 27 de Janeiro, com uma autorização temporária, que determinava que até 15 de Março teriam de ser entregues no IMTT os relatórios das condições de segurança.

Segundo a mesma fonte, essa informação ainda não chegou ao instituto, que notificou as diversas partes de que a partir de 16 de Fevereiro está interdita a exploração comercial da linha naquele troço.

Contactada pela Lusa, a CP informou que vai acatar a decisão da entidade de supervisão e que não depende desta empresa o retomar da circulação ferroviária.

A CP refere que "é afectada como os clientes", um mês e meio depois de a linha ter reaberto em toda a extensão, quase um ano passado do acidente que matou três ferroviários..

A REFER é a empresa responsável pela infra-estrutura e pelas obras já executadas e medidas de segurança a tomar, por indicação do LNEC.

HFI.


© 2008 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.

Leituras recomendadas