20080331

Santana 2004 / Sócrates 2009

Agora que se descobriu que a vitória do PS em 2009 não é segura, as «máfias» do Centralismo que dominam o Estado Central decidiram:

Eu irira votar no PSD em 2009. Assim já não o farei. Aliás, no caso de António Borges assumir a liderança do PSD, recomendo que todo o Norte deixe de votar PS ou PSD e se disperse por outros partidos.

Menezes foi perdulário. Andou a vender-se a estas «máfias» e agora que tem hipotese de ganhar, é de imediato substituido por alguém de «confiança». Pode ser que desta vez, o Norte não va em cantigas...

6 comentários:

Pedro Menezes Simoes disse...

"Eu irira votar no PSD em 2009. Assim já não o farei. Aliás, no caso de António Borges assumir a liderança do PSD, recomendo que todo o Norte deixe de votar PS ou PSD e se disperse por outros partidos."

Sinceramente, eu recomendaria que em qualquer cenário o Norte não votasse nesses partidos. É preciso retirar força ao centrão.

Para que este sinta pressão para governar melhor, para que sinta necessidade de se abrir mais aos cidadãos, para dar maior peso a partidos onde existe menos clientelismo,

e, do ponto de vista no Norte, para forçá-los a ter políticas mais adequadas à nossa região, com o objectivo de recuperarem votos.

Quanto mais volátil for o voto de uma região, maior a necessidade de a conquistar... : )

Jose Silva disse...

Pedro,

Os submarinos ou Portucale são também um «centrão» à direita. Essa lógica reduziria os votos unicamente ao PCP e BE, provavelmente a melhor garantia de honestidade.

Pedro Menezes Simoes disse...

É verdade. O CDS-PP faz parte do centrão. Durante o Governo de Durão Barroso mostrou ser igual ao (ou pior que o) PSD.

Restam o PCP e Bloco, mas também os pequenos partidos. É certo que entre os pequenos partidos não existem muitas opções. Importa olhar para os novos que têm surgido.

sguna disse...

Um dos maiores problemas, é o facto de não haver alternativas políticas aos actuais partidos principais. Os últimos 20 (30) anos ilustram bem que a inconpetência/clientelismos dos nossos partidos nacionais é igual para todos. Saltar do PS para o PSD de 4 em 4 anos e vice versa não muda nada. Os outros não sei, mas também não sei se merecem o benefício da dúvida.

António Alves disse...

e se formassemos um ou aderissemos a um cujos estatutos permitisse aautonomia regional?

Jose Silva disse...

Pois é António, a tese do PDA.

Eu alinho, com as resalvas que ja fiz.

Leituras recomendadas