20080403

Um país dois sistemas

"Enquanto em todos os países os governantes incentivam o espírito de iniciativa, colocando a criação de novas pequenas empresas no topo das prioridades, em Portugal faz-se o contrário. Há um excesso de pequenas empresas que devem cessar a actividade. E se elas não forem capazes de se extinguir por si próprias, o Estado dá a ajuda que for necessária. Como não existe uma arbitragem isenta por parte do Estado, os maiores operadores vão crescendo, retirando espaço e esvaziando o papel dos pequenos agentes. Na nossa lógica dos dois sistemas, há um que abriga o grande sector público, o sector parapúblico com uma dimensão considerável, e um número reduzido de grandes operadores, e há outro que fustiga as pequenas empresas e a iniciativa individual."

Ler o resto no vida económica, excelente jornal sobre economia feito a partir do Porto, cuja leitura recomendo vivamente. A lógica abordada neste artigo pode ser aplicada a quase tudo na vida sócio-económica portuguesa.

2 comentários:

Pedro Menezes Simoes disse...

De facto, o Vida Económica é um jornal muito bom, e muito útil para as empresas da região...

Infelizmente, os mortais como eu qeu não têm subscrição online não têm acesso ao resto do artigo...não há forma de resolver isto? ; )

António Alves disse...

basta fazer a inscrição. é de borla.

Leituras recomendadas