20080429

Tua - Passageiros não faltam, o que falta é vontade de ter passageiros

Um sábado, a propósito das recentes notícias sobre o eventual encerramento da linha do Tua, resolvi, com a minha namorada, passear na mesma. Em primeiro lugar fiquei chocado, juntamente com outros turistas, quando à chegada da estação do Tua fomos informados de que o troço da linha entre Tua e Abreiro (o mais espantoso do percurso) estava encerrado. No entanto, quando perguntei aos funcionários da CP e da REFER se havia obras na linha, estes comunicaram-me que as obras estavam concluídas e que apenas se aguardavam instruções "superiores" para reabertura desse trajecto.

Para transportar os passageiros, a maior parte turistas que vinham especificamente apreciar o trajecto do caminho-de-ferro, estavam dois táxis ao serviço da CP. Obviamente que, num sábado com Sol de Primavera, os dois táxis não chegavam para todos os passageiros. De forma a "resolver" o problema, o taxista chamou um outro táxi. Mesmo assim, nem todos os passageiros cabiam nos três táxis, um deles prontificou-se a ir na mala do carro e assim se resolveu o problema do transporte dos passageiros. Uma vez que com todas aquelas manobras o tempo se foi esgotando (e a automotora de ligação estava à espera na estação de Abreiro) o taxista foi "forçado" a acelerar a marcha chegando mesmo a atingir os 90 quilómetros/hora (Km/h) naquela estrada cheia de curvas e contra curvas. Não critico o taxista que fez todos os possíveis para se assegurar que toda a gente chegava a tempo ao comboio. A questão que faço é: valerá a pena a CP substituir a alegada insegurança da linha por insegurança rodoviária? Quando ainda por cima as pessoas queriam era ver o percurso do comboio? Mas, lá chegamos ao comboio sem "azares de percurso".

Durante a viagem de comboio vi com os meus próprios olhos o estado de má conservação em que se encontra a linha, forçando a automotora a circular a uma velocidade de 35km/h. Velocidade esta que torna o comboio não competitivo (quando na prática tinha todas as condições para o ser).

Chegamos a Mirandela no tempo previsto e aproveitamos o maravilhoso jardim junto ao rio para fazer um piquenique. Quando voltamos para a estação com vista a tomar o comboio de regresso ao Tua ficamos surpreendidos com a presença de D. Duarte Duque de Bragança naquele lugar. Este encontrava-se com representantes do Movimento Cívico pela Linha do Tua que recolhiam assinaturas para uma petição a favor do não encerramento da linha. Aparentemente era intenção do nosso Rei fazer também o percurso Mirandela-Abreiro, coisa que não se veio a verificar. O mais incrível é que o 'Rei' não pôde fazer este percurso porque a automotora já estava lotada (40 lugares sentados e 30 em pé). E, apesar do esforço do maquinista para receber autorização para acoplar uma outra automotora (existiam duas disponíveis na estação de Mirandela), esta foi-lhe recusada por alguém superior (da CP ou da REFER).

Em resumo, os turistas que queriam ver a linha tiveram de desistir ou ir de táxi, alguns passageiros tiveram de ir na mala do táxi e o Rei ficou "pendurado" na estação de Mirandela. Parece-me mesmo que algumas entidades querem arruinar de vez a imagem da linha do Tua para terem menos "entraves" no seu encerramento!!!

Que País em que vivemos. Às vezes, e apesar de gostar muito do meu País, tenho vergonha (já que outros não a tem) .

Hugo Guimarães no Público

2 comentários:

AJS disse...

Para alem das situações que relata é de acrescentar que há muitos anos quando se começou a restringir os horarios e a colocar os mesmos em horas que não serviam ninguem foi quando se deu inicio ao fim da linha. Tenho para mim como certo que fez parte de uma estratégia definida para o seu encerramento.O mesmo sucedeu com a linha do Douro, do Pocinho a Barca d'alva, e está para acontecer do Pinhão ao Pocinho. Depois é facil dizer que a linha tem pouca procura. Durante a semana só serve quem não tem nada que fazer e aos fins de semana só serve quem não quer nela viajar.

Mario disse...

eu Hugo não tenho vergonha do meu país tenho vergonha dos bandalhos
que não têm vergonha de envergonharem o nosso país...

Espero que os Portugueses despertem

Obrigado Hugo pela publicação da Notícia, obrigado aos amigos do Norteamos por a terem divulgado e
obrigado ao Sr D. Duarte Pio e ao Instituto Democracia Portuguesa pela honra que nos deram com a sua visita e o seu apoio.
mario

O Sr D. Duarte Pio veio manifestar o seu apoio a Trás os Montes , defender o património histórico base da identidade local e nacional
e apoiar o Movimento Civico pela linha do Tua na defesa intransigente deste valor, simbolo da capacidade e do querer de Trás os Montes e dos Portugueses, dando-nos a honra de ser o primeiro a assinar a petição em papel

a Petição online já ultrapassou as 4000 assinaturas mas esperamos ter 10 000 000

obrigado a todos

Movimento Cívico pela Linha do Tua

www.linhadotua.net

Leituras recomendadas