20080424

Problemas no turismo do Douro

Estamos às portas de mais um verão. Altura por excelência em que o Douro é “invadido” por turistas. Os operadores do sector congratulam-se a cada ano com os números crescentes de procura. Mas que beneficio tiram as regiões desta aparente mina?

A questão é antiga, mas como ano após ano, nada é feito, também ano após ano me dou ao trabalho de recordar que o Douro tem a pretensão de viver do turismo e só nalgumas iluminadas mentes é que já vive do turismo. A verdade nua e crua é que não existem infra-estruturas de apoio ao turista ou que incitem o “consumo turístico” da região.

Vão-se vendo alguns, tímidos, passos do sector privado. A estação do Pinhão é um ponto positivo, apesar de discordar dos moldes com que tudo se passou. Mas será que chega?

Não! É preciso mais. De Lisboa e do Porto lançam-se acções de promoção que raramente resultam, talvez porque estas se alinhavam em consonância com outro tipo de acções para regiões infra-estruturalmente mais desenvolvidas. O tipo de abordagem do Douro não pode ser o mesmo do Al(l)garve. O Algarve tem desde há muitos anos as infra-estruturas para receber os turistas. O Douro profundo, e talvez o superficial também, não têm.

Ponto número um: o Douro, na verdadeira acepção da palavra não é o Porto. Promover um fim-de-semana no Douro, não é levar o turista às unidades hoteleiras do Porto. O Porto é a porta de entrada. E já que se falam em portas de entrada, continua a não se perceber porque no Douro se ignoram os espanhóis. Salamanca tem que ser a outra porta de entrada.

Ponto número dois: no Douro profundo é difícil o turista orientar-se. Grande parte do problema tem sido resolvido com o aparecimento de unidades hoteleiras de luxo e outras pela região. Tem-se colmatado o problema do número de camas. Mas vejamos, os analistas consideram que ainda não foi resolvido esse problema, por outro lado, alguns hotéis queixam das fracas ocupações.

A explicação para esta aparente contraditório é simples: considerando o potencial turístico da região, há ainda insuficiência de camas. No entanto estamos longe de atingir o número potencial de turistas. Os que vêem, raramente voltam: a paisagem é bonita, mas é só paisagem que pode ser fotografada ou filmada. Os que não vêem pensam duas vezes: pode tornar-se uma aventura escolher um bom sitio para ficar e ao mesmo tempo perto dos pontos de interesse da região, que ainda não foram sistematizados de forma adequada. Já para não dizer que ou traz carro ou fica circunscrito ao hotel e as suas iniciativas.

Por Luís Manuel MA

1 comentário:

Mario disse...

Caros amigos
O turismo no Douro reverte-se de caracteriscas muitos particulares

o ecosistema é muito frágil mas é ele que torna o douro e o tua muito particulares e por isso muito atractivos... o Turismo de massas e o betão a ele associado farão com que se destrua um dos poucos locais que por terem sido constantemente ignorados pois eram terra de parolos e os da terra para não serem parolos abandonavam as suas grandes propriedades e as populações que nslse confiavam para irem para a cidade viver num apartamento e servir de chacota a tpodo e qualquer energumeno , vigarista ou oprtunista... mas isso era o progresso , a evolução o passar a ser importante...

Fruto disso trás os montes tem hoje caracteristicas únicas que o diferenciam de tudo ... felizmente por não ter acompanhado a "evolução" ....... mas os vigaristas continuam .. agora são eles que vão a tràs os montes à procura dos parolos... para os tentarem continuar a enganar... vêm resolver o problema... para que a sucata da linha? . para quê As termas que curaram os pais os avós e todos os antepassados para quê continuar a trabalhar as vinhas e os olivais?... para quê viver em locais onde não existem hospitais, serviços, segurança e só boa gente para quê ?... Resolvem-nos o problema .. poêm tudo de baixo de á agua e assim já seremos felizes ... e eles coitados vão ter o trabalho de mandar e receber a facturas das luz.. e .. da água e de tudo.. enquanto cá estiver alguém


Sugiro que recordem o velho filme ... sempre actual .. O LEÂO DA ESTRELA

cumprimentos
mario

ps pf escrevo ao correr da tecla e do sentimento... por iso não releio nem faço a pontuação

Leituras recomendadas