20080401

Corrupção, a Al-Jazira, Lisboa ou uma boa jornada de propaganda do Zé Sá Fernandes?

7 comentários:

josé manuel faria disse...

No Porto há 2 deputados do BE e em Braga faltaram 417 votos ( 1 por freguesia). O BE tem crescido muito no Norte.

António Alves disse...

pode ser que sim. mas tem descido muito em lisboa. na eleição para a câmara o Zé perdeu votantes e perdeu também peso relativo. valeu-lhe a necessidade do PS conseguir uma maioria para governar. veremos se não foi um beijo de morte. até lá estaremos entretidos com as eólicas em pleno tecido urbano :->

Pedro Menezes Simoes disse...

Curioso,

o mesmo povo que tanto se queixa dos autarcas corruptos, penaliza precisamente quem denunciou a corrupção...

Assim não vamos lá.

Suevo disse...

Tanta ingenuidade

O BE é a aberração que faz o pleno.
A única autarquia que ganharam, Salvaterra de Magos tem três extremistas BE a braços com a justiça. Dá-me vontade de rir quando ouço o Sá dos acessores.

A extrema-esquerda na mouraria não teve qualquer problema em apresentar no concelho de Sintra, Teodósio Alcobia de sua graça que chegou a cumprir 10 anos de prisão no âmbito do processo FUP/FP-25. O caso era de terrorismo.

A única presidente do BE foi constituída arguida no âmbito de peculato nos bombeiros.

http://ww1.rtp.pt/noticias/index.php?article=275952&visual=26

A única autarquia do pais que a extrema-esquerda caviar ganhou é provavelmente a mais corrupta do pais.

A Calécia não é a mouraria, essa corja aqui não passará.

josé manuel faria disse...

Esta quarta-feira passam 32 anos do assassínio bombista do Padre Maximiano de Sousa e da estudante Maria de Lurdes, que acompanhava o sacerdote militante pela causa dos que mais sofrem a pobreza e a injustiça. Muitos anos depois, os inquéritos deram lugar a um longo processo judicial que nunca conseguiu condenar nenhum dos autores do atentado, atribuído à rede bombista da extrema-direita que semeava o terror no norte do país em 1976.
Maximiano Barbosa de Sousa, conhecido como Padre Max, foi assassinado em 1976, quando tinha 32 anos, através de um ataque bombista perpetrado quando seguia no seu automóvel com Maria de Lurdes Pereira, estudante de 19 anos que apoiava a sua candidatura a deputado, como independente nas listas da UDP.

O ataque foi atribuído ao Movimento Democrático de Libertação de Portugal (MDLP), uma rede bombista de extrema direita que actuou no norte do país após a Revolução de 1974. Quatro membros do MDLP chegaram a ser constituídos arguidos mas o julgamento, concluído em 1999, levou à sua absolvição.

De resto, foi um processo judicial muito complexo, que envolveu vários julgamentos: em 1977 o processo seria arquivado por falta de provas, para ser reaberto em 1989, seguindo-se novo arquivamento, em 1995. Em 1996 o processo foi de novo aberto, concluindo-se pela absolvição de todos os acusados em 1997.

No programa político da União Democrática Popular, hoje integrada no Bloco de Esquerda, pode ler-se que "a UDP é um partido cuja acção e comportamento procura seguir a divisa do Padre Max: Servir o povo e nunca se servir dele

Suevo disse...

Está a tentar dizer que quem colocou essas bombas foi candidato por algum partido nas ultimas eleições?

É que no caso do BE esses terroristas são candidatos por esse partido.

Em entrevista, Alpoim Calvão disse o seguinte, para bom entendedor.

Pergunta: Falou há pouco que o MDLP se desmembrou a partir de Novembro. Mas até lá, que participação vossa houve no 25 de Novembro?

R. - Aliámos o povo do norte, já que a rapaziada do Alentejo andava na euforia da reforma agrária.

Pergunta: P. - Quem incendiou as sedes dos comunistas no norte?

R. - 10, 15, 20 mil pessoas como aconteceu em Braga e noutros sítios. Quando os da Dinamização Cultural chegavam a certas aldeias encontravam 50 burros à espera deles e a aldeia deserta... Incendiaram-se as sedes, reagiu-se... Gerou-se assim uma vaga de fundo em que uns entravam pelo rés-de-chão e os outros, saiam a voar pelo primeiro andar. Mas em muitas sedes os comunistas defenderam-se a tiro de caçadeira...

Caso os comunistas tivessem instalado o vosso regime totalitario, o "norte" faria um guerra "civil" e partiria o "país" em dois.

Victor Sousa disse...

O BE ainda não cresceu mais, porque os espólios fotográficos tem sido drenados para Lisboa...

Leituras recomendadas