20080602

Arre!

A vitória de MFLeite representa um profundo revés para o Norte em geral e Porto em particular.

Actualmente Portugal é sujeito a uma crise global de grande dimensão. O Norte em particular, já de si em recessão há muitos anos, vítima do governo mais centralista que há memória, sofrerá ainda mais. A governação PS, neo-liberal «mafiosa» sabe que não ganhará com maioria absoluta as próximas eleições. O Norte não votará PS e o sul votará na frente de esquerda em nascimento. Obviamente que em 2009 com um PS com 40%, PSD com 30% e PCP+BE com 25%, a coligação governativa nunca será com a esquerda mas sim à direita. A vitória de MFLeite é o melhor seguro de vida dos interesses oligarquicos e centralistas. É a garantia de mais 5 anos de status quo.

Desengane-se quem julga q MFLeite terá preocupações sociais. Paulo Gorjão demonstrou aqui que isto é falso. Também eu já tinha detectado essa mesma manobra demagógica de JPPereira aqui. E também não descerá impostos permitindo que estes sejam usados na «social democracia» dos grandes interesses, PPP, Scuts, Alcochetes, TGVs, Estado Central exagerado e concentrado em Lisboa, material de defesa em permanente reparação, etc. Os impostos altos e crédito caro incidirão sobre as PMEs (sobretudo onde elas abundam, a Norte) e classe média e não sobre os grandes projectos com patrocínio estatal. Nem o QREN as salvará, dado que todo o dinheiro está já cativo destes projectos e investimentos de grandes empresas.

MFLeite poderia ser útil se tivesse coragem para acabar com estas grandes obras, como em tempos escreveu. Mas não. Nota-se desde já o Bloco Central de interesses, as «máfias» a actuar: Ela própria já disse no 1º debate televisivo que Alcochete, TGV e TTT são para continuar. Conclusão: mais do mesmo. Estamos no PeakOil e vamos criar alegremente elefantes brancos para pagar pelas gerações futuras.

O Norte será novamente drenado quer em recursos humanos, quer pela criação artificial de centralidades aeroportuárias e ferroviárias, quer por mais keynesianismo de betão.

Mais grave de tudo é que isto foi mais um erro imperdoável do Norte. Deixou-se enganar em 1995, na Regionalização em 1998, em 2005 e no sábado passado. Parece que o que motivou o não apoio da distrital do Porto a PSLopes foi um ajuste de contas relativo a «tachos» de deputados na AR, como ouvi ontem na RTPN. Inspirada pelos liberais portuenses teóricos e imaginativos, que já produziram o frankenstein Rio e que agora o combatem, a distrital portuense decidiu apoiar PPCoelho que dizia «Nim» à Regionalização em vez do Sim de quem disse que «Portugal não era Lisboa». Esses votos teriam dado a vitória a PSLopes e o cenário mudaria, Agora, ridiculamente, Marco António Costa, nome inversamente proporcional à inteligência política, disse que iria exigir a Regionalização à candidata vencedora, que é, como sabemos, frontalmente contra. Pagaremos caro este aventureirismo irresponsável do PSD Porto. Já agora alguém acredita que o PS apresentará a Regionalização no seu menifesto eleitoral em 2009, no pico da crise ?

Francamente fiquei desiludido com o resultado. Os dois principais partidos são agora profundamente centralistas, depois de LFMenezes ter representado alguma esperança. Este Norte não aprende, a não ser que o tema seja futebol. A nossa vocação é ser periferia, dependente, pobre, atávico, emigrarem os mais capazes e ficarem por cá os outros. Damos um passo à frente e outro atrás.

Pois então que assim seja. Para este peditório não dou mais. Boa sorte para os lutadores Rui Moreira, Pedro Baptista nas suas quimeras, para LFMenezes e PSLopes se tentarem crirar um novo partido e todos aqueles que de algum modo simpatizam com as minhas teses. Eu suspendo aqui a minha intervenção cívica na Blogosfera e vou-me concentrar em por o meu património e receitas longe da implosão dos próximo anos. Divirtam-se com FCP e Prozac.

PS: Informo os participantes, leitores e comentadores do Norteamos, que a partir de hoje passarei a exercer apenas funções de administração do blogue.

12 comentários:

Pedro Menezes Simoes disse...

Caro José Silva, PSL tem uma imagem demasiado "queimada" na opinião pública.

Não me parece que alguma vez tenha tido reais hipóteses de ganhar as directas.

Partilho consigo a tristeza de que a candidata do centralismo tenha ganho. Mas uma coisa é certa: a candidata das elites que tudo fizeram para derrubar PSL (e em consequencia o próprio PSD) em 2005, e LFM em 2008, não conseguiu ter 40% dos votos.

Ou seja, a candidata unificadora não foi nada unificadora. Os candidatos do não-centralismo somaram quase 2/3 dos votos.

Os vencedores destas eleições foram:
- Pedro Passos Coelho: será o próximo líder do PSD, e não terá de enfrentar o desgaste das próximas eleições.
- Partido Socialista: para Sócrates, bastará enviar o seu ministro das finanças para os debates com a líder do PSD. Teixeira dos Santos tem resultados (fraquinhos) para apresentar. Manuela Ferreira Leite, não.

Pedro Menezes Simoes disse...

Tenho vindo a pensar nisto à algum tempo... porque não mudar o formato do blogue para algo semelhante à "Baixa do Porto"?

Ou algo a meio caminho? Com comentadores residentes e comentadores externos? Penso que daria nova vida ao blogue e o tornaria mais "democrático", e com maior capacidade de debate de ideias...

Pense nisso... Abraço!

Jose Silva disse...

Pedro,

Ainda não percebi o preconceito contra PSL. Eu votei pela 1ª vez no PSD em 2005. Queimado ou não, era o único que defendia a Regionalização e tinha dado provas que era anti-sistema.

Em 2009 este PSD fará parte do governo e irá manter o status quo. A única hipotese do Norte sair deste espartilho será mesmo a emergência de um partido regional por LFM, PSL, AJJardim ou Rui Moreira integrar as litas do PP e conseguir captar os descontentes a Norte. De qualquer modo PS+PSD terão maioria e a machadada final no Norte será consumada. Aposta ?

Pedro Menezes Simoes disse...

Não, não aposto. Mas só porque em 2010 já não será Manuela Ferreira Leite que estará à frente do partido : )

O preconceito contra PSL é simples de perceber: tem um estilo de gestão impulsivo e isso potenciou os efeitos negativos do "retirar do tapete" que os agora apoiantes de MFL lhe fizeram. Em termos de imagem pública, arcou com os defeitos dele e com os dos outros, e ainda com os maus resultados nas finanças da política de...Manuela Ferreira Leite. Por outras palavras, publicamente foi o bombo da festa e o bode espiatório do próprio partido.

Está queimado. É a vida. O mesmo aconteceu com Fernando Gomes, mesmo sem este atirar gasolina para o fogo, como fez PSL. O facto é que PSL não vende junto a muitos simpatizantes do PSD. Tem um capital de antipatia que outros não têm. Ora, num grande partido, um líder não pode gerar antipatias fortes.

Essa é uma razão para MFL ter ganho agora o partido. Mas pela mesma razão, não será nenhum dos seus apoiantes a suceder-lhe...

Pedro Menezes Simoes disse...

Estive a consultar os resultados por distrito, e tenho-lhe a dizer que não foi o Norte que falhou.

Quem foram os candidatos mais votados por distrito:
Viana do Castelo - MFL
Braga - PSL
Porto - PPC
Vila Real - PPC
Bragança - PPC

O peso da Vitória de MFL foi sobretudo sustentada em Lisboa e Aveiro.

Zé Luís disse...

Concordo com a leitura, partilho os receios mas não sou de me ficar a levar...

fernator5 disse...

Compreendo perfeitamente a sua atitude José Silva.

De facto por muito que uma pessoa lute neste país, os lobbies, a corrupção e os arranjinhos estarão sempre à frente do pensar o que fazer para melhorar o país.

A regionalização não interessa aos politicos do "sistema" pelo que só os encostando à parede é que a regionalização andara para a frente.

Esse encostar à parede poderá ser um partido regional que lute pela regionalização ou pedir a Bruxelas que obrigue de uma vez por todas Portugal a regionalizar-se.
Caso contrário por muito que protestemos em blogues e tenhamos jornais a nosso favor, isto pouco avançara.


Eu também ja me fartei de lutar.
O melhor que cada Nortenho tem a fazer é emigrar e deixar o Norte.
Eles que encham o Norte desertificado de pretos para fazerem as suas obras e receberem um salario miserável, a nova escravatura do séc.XXI

Jose Silva disse...

Pedro, eu acho que a má imagem de PSLopes é construída pelo MSM da capital. Não corresponde à realidade, como se viu nos resultados.

Acho que o problema foi outro, como diz Pedro Pinto hoje : LFM triu PSL ao apoiar PPC. LFM nunca mais terá apoio abaixo do Mondego, diz ele. Enfim, a facção anti-centralista foi dividida e o Norte será tremendamente prejudicado. LFM pretendeu ficar na história do PSD e mandou o Norte às urtigas. Este erro do PSD Porto só será amortizado daqui por mais de 5 anos. É equivalente ao Não ´`a Regionalização. As únicas alternativas são mesmo Rui Moreira captar votos ou um partido populista/regionalista. Ou então ficaremos nas mãos imagine-se de Rui Rio. Tenho no entanto sérias dúvidas que isto tenha qualquer efeito. Ou então pode ser que a desqualificação do FCP nas Champions do próximo ano finalmente acorde este povo burro.

PS: Pedro enviei-lhe um email relativamente ao comentário 2.

Caros Zé Luis, e Fernator5, obrigado pela simpatia.

Jose Silva disse...

Como podemos ler abaixo, as minhas previsões confirma-se. Centralismo reforçado:

http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Politica/Interior.aspx?content_id=96043

António Alves disse...

"Este Norte não aprende, a não ser que o tema seja futebol. A nossa vocação é ser periferia, dependente, pobre, atávico, emigrarem os mais capazes e ficarem por cá os outros. Damos um passo à frente e outro atrás.

Pois então que assim seja. Para este peditório não dou mais. Boa sorte para os lutadores Rui Moreira, Pedro Baptista nas suas quimeras, para LFMenezes e PSLopes se tentarem crirar um novo partido e todos aqueles que de algum modo simpatizam com as minhas teses. Eu suspendo aqui a minha intervenção cívica na Blogosfera e vou-me concentrar em por o meu património e receitas longe da implosão dos próximo anos. Divirtam-se com FCP e Prozac."

caro José,

Tenho pena que não compreenda a importância dos símbolos nas interacções diárias de todos os agentes sociais. No fundo o josé demonstra a típica atitude dos mentalmente dominados - é aí que o centralismo aposta mais forte - e tem aquela vergonha induzida pelas centrais de comunicação centralista. será que também se envergonha da pronúncia que o caracteriza e ocorre naquele típico 'hipercorreccionismo' que faz alguns dizer que "os vomveiros voluntários de valvom vorraram as votas com merda"?

para perceber a importância dos símbolos basta atentar que o centralismo não descura os seus, muito pelo contrário, incentiva-os, financia-os e condecora-os. aqui, pelo contrário, as mentes dominadas têm vergonha dos seus. assim, é verdade, não iremos longe.

Jose Silva disse...

António,,
Não percebeu ou eu não expliquei bem.

Eu não tenha nada contra o interesse pelo FCP Braga Guimarães ou afins. Reconheço, a sua perspectiva sociológica de usar estes simbolos para estrturar/situar os conceitos individuais de sociedade. Porém, julgo que a Norte se anda demasaido à procura de símbolos e não de factos. Procuramos alimentos poeticos em vez de físicos, vitórias morais em vez de reais. É isso que me custa. O povo mais probre da Europa a 15, se calhar o mais usurpado do seu auto-esforço, anda entretido com futebois. Já disse muitas vezes: Inconscientemente PdC é o maior aliado do Centralismo, pois mantem os explorados anestesiados.

E a prova que eu tenho razão é que a suspensão agora decretada pela UEFA ao FCP, conspiração com sucesso orquestrada em Lisboa, vais resultar em quê ? Todos os alienados do futebol vão vociferar no MSM, Blogosfera ou conversas pessoais e não vai dar em nada. Rigorasamente nada. Não seria de esperar outra coisa de um povo atávico e alienado. Aposta um almoço ?

Abraços

Cristina A disse...

Identifico-me em especial com o seu penúltimo paragrafo foi exactamente o pensamento que me ocorreu e não faço gestão de nenhum blog, nem trabalho para a causa pública como o José trabalha aqui no Norteamos.
Há no entanto uma esperança, ainda que remota, que os contribuintes deste país acordem e como diria Nietzsche «não desaprendam a estar de pé no momento da vitória»

Leituras recomendadas