20090315

Linha do Tua

6 comentários:

Mario disse...

linha do tua em exposição em Paris


informações em www.linhadotua.net


cumprimentos

mario

Mario disse...

Grande entrevista a Guedes de Almeida


http://www.mensageironoticias.pt/noticia/1471


Que comece a servir de exemplo ao carreirismo, incompetencia e completo alheamento dos políticos em relação às populações que têm obrigação de defender e saber defender


quem é Guedes de Almeida?

um transmontano com coragem e herói do Tua e da sua Linha

Vídeo o " Grande Roubo" .. Com ele á frente de mais de 10 000 a defender o nosso património .. e a nossa linha

Vídeo o " Grande Roubo" .. Com ele á frente de mais de 10 000 a defender o nosso património .. e a nossa linha



http://www.youtube.com/watch?v=zKqVyVKh3KM
Minuto 1:59

um abraço

mario sales

Mario disse...

“OS VERDES” ACUSAM MINISTRO DO AMBIENTE DE SER
“O COVEIRO DO TUA”

Hoje, na Comissão Parlamentar de Ambiente e Poder Local, o Deputado ecologista, Francisco Madeira Lopes, questionou o Ministro do Ambiente sobre a possibilidade de construção da Barragem da Foz do Tua, que levará a perda irremediável de parte importantíssima do nosso património ferroviário, a Linha do Tua.

Mediante a resposta de Nunes Correia, que desvalorizou a sua própria importância na tomada de uma decisão sobre esta matéria, “Os Verdes” só podem fazer uma constatação: com um Ministério do Ambiente como este, é preferível a sua extinção. Pelo que se pôde comprovar pelas palavras do Sr. Ministro, qualquer Ministério se sobrepõe ao do Ambiente, que acaba por não intervir nas decisões que mexem directamente com o ambiente e o ordenamento do território.

É ainda de salientar o facto de Nunes Correia, apesar de admitir a fragilidade e sensibilidade do Vale do Tua, ter colocado a tónica da sua intervenção na reposição e melhoria das vias de comunicação ao longo do eixo em questão. O Ministro do Ambiente fugiu, mais uma vez, a um posicionamento claro sobre a construção da Barragem, abrindo inclusivamente portas à substituição da via ferroviária por uma via rodoviária, demonstrando desta forma uma posição muito mais débil na defesa dos valores ambientais, tais como a mobilidade ferroviária e não poluente, do que a própria secretária de Estado dos Transportes, Ana Paula Vitorino.

Para “Os Verdes”, é triste (mas não surpreendente) verificar a pouca ou nenhuma importância que o actual Ministro do Ambiente confere às matérias do ambiente e do património natural e cultural do país, preocupações que deveriam ser as suas por excelência.

Mario disse...

Mirandela, 06 Mar (Lusa) -- O presidente da Câmara de Mirandela reconheceu hoje que é "adivinhável o encerramento" da linha do Tua e a construção da barragem que acaba com a ferrovia, pelo que o processo de referendo local não deverá ser retomado.
Aumentar a fonte do texto do Artigo Diminuir a fonte do texto do Artigo Ouvir o texto do Artigo em formato �udio
José Silvano (PSD) acredita que "cada vez é mais difícil um Governo tomar uma decisão sobre a manutenção da linha do Tua".

"Nas circunstâncias actuais, com uma barragem a querer ser construída" e "um primeiro-ministro a dizer que as barragens são um potencial de resolução da crise e um investimento tão forte que é necessário fazer na segurança da linha", o autarca já não se mostra confiante no sucesso das suas reivindicações.

As decisões governamentais deverão ser tomadas nas próximas semanas, e como não é possível legalmente realizar o referendo local que poderia influenciar essas decisões, Silvano entende que também o processo de auscultação da população está arrumado.

O Tribunal Constitucional considerou, numa decisão conhecida quarta-feira, que a a realização do referendo sobre a linha do Tua, proposta pela autarquia de Mirandela, é ilegal por colidir com os prazos de eleições gerais nacionais que vão suceder-se ao quase ao final do ano.

Por apenas quatro dias, segundo explicou hoje o autarca, não conseguiram que o referendo se realizasse, já que o escrutínio poderia ter lugar a 12 de Abril, mas já entraria no decorrer do prazo, que começa a oito de Abril, para a o presidente da República convocar as eleições para o Parlamento Europeu.

Formalmente, só depois de todas as eleições nacionais, no final do ano ou já em 2010, é que será possível retomar o processo, o que o autarca admite ser um cenário improvável, tendo em conta as actuais circunstâncias e o facto de já estarem em funções outros órgãos autárquicos.

O referendo "já não tem sentido", reconhece o autarca social democrata que está "pouco expectante"em relação ao futuro da linha do Tua e critica o comportamento do Governo neste dilema entre a barragem e a ferrovia.

Silvano não entende o dinheiro que está a ser gasto na manutenção da linha do Tua, que está encerrada desde o acidente de Agosto.

Apesar disso, como não há uma decisão governamental conhecida sobre o futuro, o autarca, que é também presidente do Metro de Mirandela - que faz o transporte dos passageiros -, garantiu hoje que "três equipas continuam a fazer intervenções em bocados da linha, nomeadamente onde houve acidentes".

José Silvano deixou claro que "jamais permitirá a reabertura da linha com apenas estas intervenções", tendo em conta que os últimos inquéritos aos acidentes revelaram "defeitos grosseiros" na infra-estrutura.

O autarca critica ainda a diferença de posições entre dois ministérios do mesmo Governo no processo.

Ainda assim, "presumo que se o Governo tiver espírito de corpo, a decisão será aquela que é adivinhável: o encerramento (da linha)", declarou.

De acordo com os prazos legais, a Declaração de Impacte Ambiental sobre a barragem deverá ser emitida até Maio, e se for favorável implicará a desactivação imediata dos últimos quatro quilómetros, cortando a ligação à linha do Douro e ao litoral.

Depois da decisão tomada sobre a barragem, o presidente da Câmara de Mirandela prevê novas "guerras", desta feita entre os autarcas que defendem a barragem.

Dos cinco servidos pela linha do Tua, apenas José Silvano defende a linha, mas ainda está para ver como irão resolver a questão da cota.

"Dos quatro, um defende uma cota de 170 (metros) e os outros a máxima, eu quero ver como é que depois se vão entender", questionou.

Mario disse...

A maioria socialista chumbou sexta-feira o projecto d’ “Os Verdes”, que propunha a classificação da Linha do Tua como património de interesse nacional, contra os votos favoráveis do PEV, PCP e BE e abstenção do PSD e CDS-PP.
A votação do projecto de resolução do PEV, rejeitado pelos deputados do PS, colheu também os votos a favor de dois deputados do Movimento Partido da Terra que integram a bancada social-democrata, Carloto Marques e Quartin Graça.
Na apresentação do projecto do PEV na quinta-feira, o PS acusou o partido ecologista de querer impedir a construção da barragem da Foz do Tua.
O deputado socialista Mota Andrade afirmou que a proposta de resolução “tem um só objectivo: ser mais uma impossibilidade à construção da barragem da Foz do Tua, apoiada pelas populações [de Trás-os-Montes] e pela maioria das autarquias”.

Darma disse...

www.mudarportugal.pt

Portugal precisa de pessoas sérias que defendam o país e o interesse dos portugueses.

Leiam "o Manifesto" de Eduardo Correia, e tirem as conclusões...

Leituras recomendadas