20080917

Abandono escolar

Uma escola em Barcelos, ao permitir a passagem de ano a alunos com 5 negativas, está a passar a todos os alunos as mensagens de que não é importante estudar e a de que estudar não tem qualquer relação com a progressão de ano.

Suspeito que o objectivo desta medida não seja reduzir o abandono e insucesso escolar, mas retirar rapidamente do sistema alunos incómodos, que contribuem para piorar as estatísticas e custam bastante dinheiro ao Estado*, e que dariam muito trabalho aos professores que os acompanham…

Assim, a medida que supostamente pretende reduzir o abandono e insucesso escolar poderá tornar-se a principal causa desses fenómenos: se não é importante estudar, os alunos abandonarão a escola; se estudar não tem relação com a progressão de ano, os alunos abandonarão o estudo. É uma reacção normal dos alunos. Afinal, a escola também já os tinha decidido abandonar.

* que crescentemente se demite da sua função social. A escola pública deveria servir para promover o desenvolvimento e a igualdade de oportunidades. Ao ignorar a importância do mérito, compromete ambas.

6 comentários:

sguna disse...

Segundo o "Jornal de Negócios", 27% do emprego criado (do tais 150000) foram no estrangeiro. A política de (des)educação é a resposta do executivo à emigração qualificada.

Pedro Menezes Simoes disse...

É, mas gostava era de saber quantos desses foram nortenhos. Algo me diz que estamos a falar de mais de 50% do emprego "criado na região"

Jose Silva disse...

Pedro,

a destabilização do ensino público consiste em mais um sinal de abatardamento do verdadeiro capitalismo, que tanto nos falta. Efectivamente a redução da qualidade do público visa forçar os pais mais exigentes a comprar serviços privados. Preferiria que isto fosse decidido democraticamente em vez de implmentado de forma conspirativa.

Pedro Menezes Simoes disse...

Pois, mas cada aluno no ensino público custa 4382€ por ano ao Estado. Que eu saiba, é mais do que se paga na maior parte das privadas...

Jose Silva disse...

Então seria preferível mandar os alunos repetentes embora em vez de os passar com 5 negativas...Reduzir os custos aumentando o facilitismo não me parece a solução. O melhor é reduzir as expectativas e a «paixão pela educação».

Jose Silva disse...

PEdro, uma explicação possível:

http://www.jornaldenegocios.pt/index.php?template=SHOWNEWS&id=331930

Leituras recomendadas